Resenha: “A cidade Sitiada”, de Clarice Lispector

Perder- se também é caminho (p.138) Na minha conversa diária com os escritores através de suas vivas literaturas, é onde encontro respostas para as minhas diversas inquietações. Há mais diálogo produtivo e interessante com os mortos, do que com os vivos. Estado de sítio, segundo a Constituição do Brasil: Art. 137 – O Presidente daContinuar lendo “Resenha: “A cidade Sitiada”, de Clarice Lispector”

Resenha: “Ciranda de pedra”, de Lygia Fagundes Telles

Tenho uma leve lembrança da novela “Ciranda de Pedra”, que passou na minha infância (1981), mas nada significativo em relação ao enredo, só lembro do rosto de Lucélia Santos; portanto, essa obra era como uma desconhecida para mim. Sei que a novela da Globo foi um tremendo sucesso, foi reprisada e ganhou um remake emContinuar lendo “Resenha: “Ciranda de pedra”, de Lygia Fagundes Telles”

Resenha de filme: “A livraria”, de Isabel Coixet

Estreou no Brasil nesta última semana, o filme “A livraria”, da cineasta espanhola Isabel Coixet. O filme ganhou o Goya de melhor direção na Espanha. Merecido prêmio: a direção é primorosa. E a atriz protagonista, Emily Mortimer, também levou o Goya. O filme foi baseado no livro da inglesa Penelope Fitzgerald, “The Bookshop” e aconteceContinuar lendo “Resenha de filme: “A livraria”, de Isabel Coixet”

Resenha: “A última palavra”, de Hanif Kureishi

O filósofo e escritor Hanif Kureishi (Londres, 05/12/1954), de pai paquistanês e mãe inglesa, ainda não é um autor muito conhecido no Brasil, mas foi editado no país,  “A última palavra”, pela Companhia das Letras, além dos livros citados abaixo. Coloquem esse autor na lista, ele é MUITO BOM! Essa foto é minha (2015). OContinuar lendo “Resenha: “A última palavra”, de Hanif Kureishi”