Histórias curiosas da literatura

Os bastidores e curiosidades do mundo literário podem te surpreender: quem foi o autor latino- americano que deu um soco na cara de outro grande escritor, porque o ex- amigo havia “dedurado” à sua esposa sobre o affair com uma modelo americana? Qual grande autor irlandês pegou sífilis em um bordel e contagiou a esposaContinuar lendo “Histórias curiosas da literatura”

A carta- despedida do poeta suicida Vladimir Maiakovski

O poeta e dramaturgo Vladimir Maiakovski (Georgia – antes Rússia-, 07/06/1893- Moscou, 14/04/1930) escreveu uma carta-despedida e suicidou- se com um tiro. Vladimir Maiakovski Transcrevo a carta*: A todos Ninguém é culpado da minha morte e, por favor, nada de fofocas. Ao defunto não lhes gostava. Mãe, irmãs e camaradas, sinto muito, este não é o caminho-Continuar lendo “A carta- despedida do poeta suicida Vladimir Maiakovski”

A culpa é de Nabokov (ou uma crítica da crítica)

Sim! É isso mesmo: a culpa é de Nabokov. Quem leu seu livro com as Lições de Literatura Russa que promoveu em conferências e lecionou nos Estados Unidos, logo entenderá minha sanha momentânea. Eu, como você também, deve escorregar, costumo ver um ou outro vlogger falar sobre literatura. Alguns me surpreendem pela profundidade e originalidadeContinuar lendo “A culpa é de Nabokov (ou uma crítica da crítica)”

Resenha: “O jogador”, de Fiódor Dostoiévski (COM PDF GRÁTIS)

O bom de escrever sobre os clássicos é que nós, leitores comuns, podemos escrever livres do preceitos e da pressão de dizer coisas interessantes, ou conseguir abordar coisas nunca antes abordadas (se isso for possível em relação aos clássicos, pois creiam: não há mais nada a ser descoberto sobre eles, quase não há mais oContinuar lendo “Resenha: “O jogador”, de Fiódor Dostoiévski (COM PDF GRÁTIS)”

Tchekhov – A realidade do contista, por Gerson de Almeida

Um excelente texto do nosso colaborador Gerson de Almeida sobre Tchekhov e a arte de escrever contos. Esse texto também vai lá para o nosso “departamento” de escritura criativa. Tchekhov – A realidade do contista Escrevi um conto (é uma audácia chamar aquilo de conto e pelo amor dos seus netinhos: não peçam para virContinuar lendo “Tchekhov – A realidade do contista, por Gerson de Almeida”

Dostoiévski & X-MEN: ou como os desenhos podem ser instrutivos- por Gerson de Almeida

A série X-Men na telona serviu para algumas coisas: 1º) rasgar a camiseta do Hugh Jackman e mandar hordas de marmanjos às academias; 2º) desgraçar o cabelo da lindona Halle Berry e levar a mulherada a fazer cortes esquisitos; 3º) criou um Gambit sem senso de humor, mais para um muçulmano carrancudo que para umContinuar lendo “Dostoiévski & X-MEN: ou como os desenhos podem ser instrutivos- por Gerson de Almeida”

Resenha: Uma criatura dócil, Fiódor Dostoiévski

…Enquanto ela estiver aqui, tudo vai bem: a cada instante chego perto para vê- la, mas que será de mim quando a levem amanhã e eu fique sozinho? (p. 15) Esse livro começa com uma nota do próprio Dostoievski explicando um pouco sobre o gênero do relato, que ele classifica de “fantástico”, mas com umContinuar lendo “Resenha: Uma criatura dócil, Fiódor Dostoiévski”

Resenha: “O original de Laura”, de Vladimir Nabokov

“O original de Laura” é um rascunho de Vladimir Nabokov (São Petersburgo, 22 de abril de 1899 – Montreux, Suíça, 2 de julho de 1977), considerado um dos maiores escritores da literatura universal. Ele escreveu essas fichas quando estava doente, faleceu seis meses depois por causa de uma bronquite. Bronquite adquirida por negligência médica, segundo o filho do escritor. Nabokov estava internado para fazer umaContinuar lendo “Resenha: “O original de Laura”, de Vladimir Nabokov”