Marcelino Freire e Dalton Trevisan: O (In)feliz e Controverso Encontro da Concisão

Por Gerson de Almeida Quando o sebo aqui do centro da cidade (Jaraguá do Sul – SC) pensar em premiar seu frequentador mais assíduo, não tenho dúvidas de que serei o escolhido. E ai de quem tentar roubar meu quinhão. … Continuar lendo Marcelino Freire e Dalton Trevisan: O (In)feliz e Controverso Encontro da Concisão

Dez possíveis candidatos à cadeira nº 10 da Academia Brasileira de Letras

Com  falecimento do escritor Lêdo Ivo, a cadeira número 10 da ABL ficou vaga. Possíveis candidatos? Quem você aposta? A minha lista de escritores brasileiros que têm mérito para tal honra, pois são gênios da palavra, da arte literária em prosa e verso: 1. Antônio Torres,  mestre em mostrar o nosso Brasil como ele é, numa linguagem que todos podem entender e sentir. 2. Manoel de Barros, o melhor poeta do Brasil atualmente (minha opinião). 3. Ignácio Loyola de Brandão, um maravilhoso contador de histórias. 4. Adélia Prado, porque ABL é muito machista e não dá destaque para as escritoras, Adélia … Continuar lendo Dez possíveis candidatos à cadeira nº 10 da Academia Brasileira de Letras

Ler é contagioso

Da palavra latina liber, derivam as palavras livro e livre. Da palavra latina legere, derivam as palavras ler e escolher. Literatura é liberdade e escolha. “A leitora”, Frank Benson, 1910 Abaixo, vários vídeos de projetos de incentivo à leitura e outras histórias: “Ler é contagioso” (Argentina) em espanhol: Projeto de leitura que mistura artesanato e literatura, eles mesmos confeccionaram um livro (São Paulo): “Tapete de leitura”, discutindo sobre obras e autores, leitura de poemas (São Paulo): “Ler”, de Luis Fernando Veríssimo: “A maior flor do mundo”, na voz de Saramago: Continuar lendo Ler é contagioso

“Orgias”, Luis Fernando Veríssimo

Se eu já não tivesse lido “Comédias da vida privada”,  “Ed Mort”, “Comédias para se ler na escola” e outros, eu afirmaria que  L. F. Veríssimo é um escritor medíocre. Senti vontade de abandonar na metade do primeiro conto, de tão chato e aborrecido que é “Orgias”, conto que leva o mesmo título do livro. Mas como sou persistente segui até o final. Luis Fernando Veríssimo fica naquela classe de escritores “bacaninhas”, mas sem nenhum tipo de genialidade. Eu poderia dizer que isso acontece porque temos como parâmetro o seu pai, Érico Veríssimo, e essa comparação  não lhe favorece, mas … Continuar lendo “Orgias”, Luis Fernando Veríssimo