A carta- despedida do poeta suicida Vladimir Maiakovski

O poeta e dramaturgo Vladimir Maiakovski (Georgia – antes Rússia-, 07/06/1893- Moscou, 14/04/1930) escreveu uma carta-despedida e suicidou- se com um tiro. Vladimir Maiakovski Transcrevo a carta*: A todos Ninguém é culpado da minha morte e, por favor, nada de fofocas. Ao … Continuar lendo A carta- despedida do poeta suicida Vladimir Maiakovski

Dostoiévski & X-MEN: ou como os desenhos podem ser instrutivos- por Gerson de Almeida

A série X-Men na telona serviu para algumas coisas: 1º) rasgar a camiseta do Hugh Jackman e mandar hordas de marmanjos às academias; 2º) desgraçar o cabelo da lindona Halle Berry e levar a mulherada a fazer cortes esquisitos; 3º) … Continuar lendo Dostoiévski & X-MEN: ou como os desenhos podem ser instrutivos- por Gerson de Almeida

A Minha Biblioteca Ampliada

Minhas últimas aquisições literárias: Dostoievski e Guy de Maupassant em edições em espanhol, livros comprados na Casa del Libro (Madri): “La mansa” de Fiódor M. Dostoievski ( “krotkaya”, título original em russo), nas traduções em português ficou como “Uma criatura gentil”, “Uma criatura dócil” ou “A dócil”, é um relato de literatura fantástica. Veja edição da Cosac Naif, na Livraria Saraiva: Esta obra é uma pequena obra-prima. O pêndulo da narrativa opera segundo a lógica das transações de uma caixa de penhores: na primeira parte, a heroína se entrega, penhora sua pureza e um ícone da Virgem. Na segunda, resgata … Continuar lendo A Minha Biblioteca Ampliada

“A insustentável leveza do ser”, Milan Kundera

Considerado um dos melhores romances do século XX,   A insustentável leveza do ser mistura amor, sexo, política, história, tragédia, ambientados em Praga e Zurique em plena Segunda Guerra Mundial. Tudo isso contado de duas maneiras: um narrador- observador e um … Continuar lendo “A insustentável leveza do ser”, Milan Kundera