“A metade indivisível”, crônica do escritor português António Vilhena

Falar de amor parece fácil, mas é bem o contrário. Existe muita literatura a respeito, tanto em prosa quanto em verso, e às vezes, parece que pouco mais há para ser dito. Engano. O amor (ou o desamor) sempre será fonte de inspiração na literatura. Essa crônica do português António Manuel Vilhena (Beja, 14 de outubro de 1960), psicólogo eContinuar lendo ““A metade indivisível”, crônica do escritor português António Vilhena”

Os sebos, você é cliente?

Confesso: tenho uma certa resistência aos sebos por uma questão higiênica, mais que qualquer outra coisa. Tenho uma certa resistência às bibliotecas públicas e ao empréstimo de livros pelo mesmo motivo. As pessoas comem e bebem lendo, lavam sempre as mãos quando pegam um livro? Lêem em lugares públicos, na rua, em ônibus, parques, trens,Continuar lendo “Os sebos, você é cliente?”

E-book grátis: “Livro do desassossego”, de Fernando Pessoa no seu 127º aniversário

Hoje é o dia de dois Fernandos que nasceram em Lisboa: Santo Antônio ( nome de batismo “Fernando”) e Fernando Pessoa. Ambos fizeram e ainda fazem milagres. Pessoa andando pelo bairro do Chiado em Lisboa Fernando Pessoa faria hoje 127 anos, faleceu jovem, aos 47 anos por causa de problemas hepáticos. Deixou- nos poemas que elevaram aContinuar lendo “E-book grátis: “Livro do desassossego”, de Fernando Pessoa no seu 127º aniversário”

Livrarias de Madri (3ª): “Pasajes”

A livraria internacional Pasajes (“Passagens”) é especializada em livros em outros idiomas, mas como sempre, o português é muito pouco privilegiado, uma estante pequena com uma maioria de escritores portugueses e três ou quatro livros de escritores brasileiros. Clarice Lispector, Nélida Piñón e Rubem Fonseca. Bons, mas tenho todos. Essa livraria foi fundada em 1999 eContinuar lendo “Livrarias de Madri (3ª): “Pasajes””

PDF grátis: Florbela Espanca

Florbela Espanca, poetisa portuguesa, nasceu e morreu no mesmo dia 8 de dezembro (Vila Viçosa, 1894- Matosinhos, 1930). Seu nome de batismo: Flor Bela Lobo, filha de Antonia da Conceição Lobo e pai desconhecido. Sofria de neurastenia, casou duas vezes e divorciou- se duas vezes. Perdeu a mãe que sofria de neurose e perdeu também oContinuar lendo “PDF grátis: Florbela Espanca”

Noite de São João para além do muro do meu quintal

Só Fernando Pessoa (na voz de Alberto Caeiro) para exprimir o sentimento de quem ama São João, mas não pode participar da festa (no meu caso, o “exílio” madrilenho). Só a poesia salva! Felipe Aristimuño (carioca que estudou em Lisboa) criou uma animação com o poema: Noite de São João para além do muro doContinuar lendo “Noite de São João para além do muro do meu quintal”

Resenha: A hora do diabo, de Fernando Pessoa

A música, o luar e os sonhos são as minhas armas mágicas. (Fernando Pessoa, p.44) Este livro, “A hora do diabo”, são folhas soltas escritas por Fernando Pessoa, fazem parte do espólio do autor depositado na Biblioteca de Lisboa. Foram organizadas pela professora portuguesa e especialista no autor,Teresa Rita Lopes, também é escritora. Teresa Rita Lopes, estudiosaContinuar lendo “Resenha: A hora do diabo, de Fernando Pessoa”

Escritores do mundo (2): Leonard Cohen (Canadá)

Leonard Cohen (Montreal, 1934) é um escritor e músico canadense de origem polaca, mais conhecido no mundo da música, embora venha publicando livros desde 1956. Em 2011 ganhou o importante prêmio Príncipe de Astúrias das Letras na Espanha. Um livro interessantíssimo e que anda na minha cabeceira é o “Livro do desejo”. A obra é poéticaContinuar lendo “Escritores do mundo (2): Leonard Cohen (Canadá)”

“O tempo envelhece depressa”, Antonio Tabucchi

Perguntei- lhe por aquele tempo, de quando éramos ainda realmente jovens, ingénuos*, arrebatados, patetas, incautos. Alguma coisa ficou, a juventude não- respondeu. (p. 11) O escritor italiano morava em Lisboa e era apaixonado pela língua portuguesa. Tabucchi morreu no ano passado de câncer. Conheci a obra de Tabucchi depois de sua partida no ano passado (Vecchiano, Pisa,Continuar lendo ““O tempo envelhece depressa”, Antonio Tabucchi”

“A estátua e a pedra”, o novo livro de José Saramago

      A Fundação Saramago (leia- se Pilar del Rio, a viúva) lançou no último mês de abril na Feira do Livro de Bogotá essa nova obra póstuma “A estátua e a pedra”. A edição é bilingue espanhol/ português. O prólogo da editora: Um texto em que, de forma clara e fluida, José SaramagoContinuar lendo ““A estátua e a pedra”, o novo livro de José Saramago”