Albert Camus

“Consciência corporal”: tecnologias de formação do sujeito em “O Estrangeiro”, de Albert Camus, por Elton Uliana

  Durante séculos a pena de morte, muitas vezes acompanhada de refinamentos barbáricos, tenta conter o crime; no entanto, o crime persiste. Por quê? Porque os instintos que estão em guerra no homem não são, como afirma a lei, forças … Continuar lendo “Consciência corporal”: tecnologias de formação do sujeito em “O Estrangeiro”, de Albert Camus, por Elton Uliana

O poder da alegria, do filósofo Frédéric Lenoir

A natureza nos avisa mediante um signo preciso de que alcançamos nosso destino. Esse signo é a alegria. (Bergson) Esse livro não se vende como auto- ajuda, embora possa ajudar muita gente. O autor nos convida a conhecer a alegria verdadeira … Continuar lendo O poder da alegria, do filósofo Frédéric Lenoir

Livrarias de Madri (3ª): “Pasajes”

A livraria internacional Pasajes (“Passagens”) é especializada em livros em outros idiomas, mas como sempre, o português é muito pouco privilegiado, uma estante pequena com uma maioria de escritores portugueses e três ou quatro livros de escritores brasileiros. Clarice Lispector, … Continuar lendo Livrarias de Madri (3ª): “Pasajes”

“No café da juventude perdida”, Patrick Modiano

(…) Às vezes te oprime o coração quando pensa nas coisas que podiam ter sido e que não foram, ainda digo agora inclusive, que a casa continua vazia esperando- nos. (Ronald, p. 128) Prepare uns sapatos confortáveis porque você vai caminhar muito pelas … Continuar lendo “No café da juventude perdida”, Patrick Modiano

Resenha: Para que serve a literatura?, de Antoine Compagnon

Um pouco de teoria. Todo estudante de Letras deveria ter esse livro, porque dá muitas noções básicas e essenciais sobre a teoria da literatura em poucas páginas, é o bê a bá da literatura. Talvez seja mais importante responder “Para que … Continuar lendo Resenha: Para que serve a literatura?, de Antoine Compagnon

Uma carta de amor: Lord Byron a Caroline Lamb

Em Agosto de 1812, o poeta Lord Byron  (Londres, 22/01/1788 – Missolonghi, 19/04/1824) escreveu uma carta para a sua amante aristocrata Caroline Lamb, também escritora. Byron, casado com Anna Isabella Milbanke, teve inúmeras amantes, inclusive uma prima e sua irmã Augusta, com quem teve uma filha chamada Medora. Com a esposa teve uma filha, Ada Lovelace, que foi escritora e matemática. Os laços de sangue parece que não eram importantes para o poeta. Montagem de um retrato de Caroline e Lord Byron A carta de Byron é típica de um “bico doce”, lábia ele tinha. O texto é de amor e despedida, mas indo sem querer muito … Continuar lendo Uma carta de amor: Lord Byron a Caroline Lamb

Escritores do Mundo: Frédéric Beigbeder (França)

O francês Frédéric Beigbeder (Neuilly-sur-Seine, 21 de Setembro de 1965) é escritor, publicitário, crítico e  comentarista num programa da televisão francesa onde analisa a atualidade literária. Vem de uma família abastada, formou- se  Ciências Políticas aos 24 anos. É divorciado, tem namorada e uma filha chamada Chloé. Sequência de fotos do escritor na sua casa em Paris: “Depois de três anos, o casal precisa sair, cometer suicídio, ou ter filhos, o que são três maneiras de endossar um fim. ” (de “O amor dura três anos) Seu romance  99 francos foi adaptado para o cinema, o protagonista é o ator Jean Dujardin (ganhador do Oscar de melhor … Continuar lendo Escritores do Mundo: Frédéric Beigbeder (França)