Resenha: “Fahrenheit 451”, de Ray Bradbury

451° Fahrenheit: a temperatura que o papel dos livros se inflama e queima. (epígrafe)   O americano Ray Bradbury (1920- 2012) foi romancista, contista, ensaísta, dramaturgo e roteirista, publicou “Fahrenheit 451” em 1953, livro considerado a sua obra- prima. Ray … Continuar lendo Resenha: “Fahrenheit 451”, de Ray Bradbury

PDF grátis: “O Zen e a Arte da Escrita”, de Ray Bradbury

Esta semana será dedicada ao escritor americano Ray Bradbury. Ray Bradbury, autor de “Crônicas marcianas”. Se você não leu o post de ontem: “Onze conselhos de Ray Bradbury para escritores novatos”, dá uma olhada, vale a pena! E vocês, leitores … Continuar lendo PDF grátis: “O Zen e a Arte da Escrita”, de Ray Bradbury

Alô, 2015?!

Chegamos, estamos aqui, aleluia! Alô, 2015?! Deixa conosco tudo e a todos que amamos, só leva pra longe a tristeza, a violência, as desavenças, as enfermidades, o desamor. Traz consigo o emprego que sempre sonhamos, a casa que merecemos, a … Continuar lendo Alô, 2015?!

Escritores em topless

Pois é, nossos literatos também tinham seus momentos de descontração e lazer, onde apareciam “descamisados”, muito diferente do que estamos acostumados a ver. Veja: O grande escritor americano Mark Twain, que parecia tão formal, nos deixou esse registro fotográfico em 1883.  Ernest Hemingway adorava ficar sem camisa, são muitas fotos do escritor de “O sol também se levanta” em “panos menores” e que dão ideia dos hobbies e gostos do escritor: Precisando de óculos novos: Veja mais fotos aqui. Há na internet fotos de escritoras que foram flagradas em topless. Como são fotos sem autorização das fotografadas, fotos de paparazzi, não … Continuar lendo Escritores em topless

A primeira escritora clássica do nosso século?

Meu presente do Dia do Livro foi “O pintassilgo”, tradução literal de “The Goldfinch”, de Donna Tartt, ainda não saiu tradução em português no Brasil, nem em Portugal. A edição em espanhol da Lumen chama- se “El jilguero”. Essa obra ganhou o Prêmio Pulitzer de Literatura 2014: O absurdo não liberta, prende. (Albert Camus) A norte- americana Donna Tartt (Greenwood, Mississippi, 23/12/1963) tem os elementos ideais para virar uma das grandes estrelas literárias do século. Dizem que a escritora é uma verdadeira enciclopédia, tem uma memória de elefante, declama poemas inteiros e cita romances franceses com grande profundidade. Seus livros viram best- sellers, … Continuar lendo A primeira escritora clássica do nosso século?

Leituras

Estou a ler vários livros ao mesmo tempo e não estou concentrando- me em nenhum deles. Ando dispersa. Hoje vou fincar o pé e tentar terminar o surpreendente livro, ” Comer, rezar e amar”, da Elizabeth Gilbert. A autora foi entrevistada no programa da Oprah Winfrey e a partir disso fiquei interessada. O título deixa a impressão de que é auto- ajuda, mas não existe nele fórmula alguma de felicidade fácil (apesar de ter ajudado à muitas mulheres pensarem nos seus próprios problemas e a buscar soluções). A história é baseada na vida da autora, que depois de um divórcio … Continuar lendo Leituras