O antídoto para a tristura: uma boa leitura!


“Tristura”, o  mesmo que “tristeza”, não lembro de ter visto em português (em espanhol, já). É incrível isso, porque é uma palavra muito “rimável”. Quem conhecer algum texto com essa palavra, avise, por favor.

Hoje fiquei pensando sobre essa palavra e acho que é hora dela ser popularizada. Então, vamos com a “Tristura”:

“Tristura” é muito mais triste que “tristeza”,

que rima com “beleza”.

Tristura rima com feiúra

e com gastura.

Quer coisa ainda mais triste?

Gastura rima com tristura,

que também rima com paúra.

Paúra é outra palavra horrível,

tão horrível quanto agrura,

sutura, amargura, atadura,

rasura, usura, perjura,

E a pior: ditadura.

E ainda,

Abaladura, rachadura, caradura

Todas essas juntas,

 tristura pura!

Um bom antídoto, quer ver? Funciona:

a leitura.

persian kitten book

Brincar com palavras, amigos e amigas! 😀

Anúncios

Português Portugal X Português Brasil (3)


Lendo “Tristessa” (Jack Kerouac), numa edição portuguesa, notei a enorme quantidade de palavras e expressões com sotaque luso, que no português do Brasil seriam de outra forma. Pequeno dicionário Portugal- Brasil, selecionei algumas:

Portugal X Brasil

1. Bêbedo = bêbado

2. Surripiar= surrupiar

3. Encarnada= vermelha

4. Guarda- freio= maquinista de trem

5. Carris= trilhos de trem

6. Pedrada( gíria)= drogada

7. Aranzel= discurso

8. Matulão= vagabundo, vadio (no sentido do livro)

9. Estendal= varal (de roupa)

10. Monturo= monte de lixo

11. Juncado= grogue (pelo consumo de drogas)

12. Debicar= ciscar

13. Ganzado= tonto

14. Halo= mamilo

15. Narigar= cheirar cocaína

16. Ulular= choro desesperado

17. Romba= estúpido

18. Esgar= careta de escárnio

19. Tonitruante= trovejante

20. Piparote= croque na cabeça

21. Algures=  em alguma parte

22. Pega= prostituta

23. Calça de ganga= calça jeans

24. Calcorrear= andar muito

25. Gáudio= banquete

26. Mealheiro= cofrinho

27. Pai- Natal= papai- noel

28. Estar em pulgas= estar ansioso

29. Cêntimos= centavos

30. Restolhar= respingar

31. Drunfos= sedativo (droga)

32. Rombuçado/Rebuçado= bala/ caramelo

33. Mamalhoiça= peituda

34. Perdigotar= falar cuspindo

35. Maleitas= febre

36. Aniseta= licor de anis

Os brasileiros que lêem edições portuguesas podem ter dificuldades de vocabulário, como os portugueses que lêem edições brasileiras. Há quem ache desagradável a leitura com termos que não estão acostumados. Acredito que uma boa forma de encarar as diferenças é tentar absorver conhecimentos novos e aumentar o nosso vocabulário. Mas também é certo que a nossa língua é muito vasta e cabe nela todos os sotaques.

Você pode ver aqui e aqui outras listas com diferenças entre o português de Portugal e o português do Brasil.

Quantas palavras existem na língua portuguesa?


Léxico é o conjunto de lexemas de uma língua, ou simplesmente as palavras, o nosso vocabulário. O léxico da língua portuguesa é bastante extenso, mas utilizamos pouquíssimas palavras no nosso dia- a- dia.  No dicionário Aurélio Online estão catalogados  435.000 verbetes (“verbetes” são as palavras com seus significados no dicionário).

Também chamado de “pai dos burros”, o dicionário também deve ser lido, consultado e estudado por todos (e também por aqueles que vivem em outros países, pois as palavras vão sendo esquecidas) como forma de relembrar, conhecer e enriquecer o nosso vocabulário.

A palavra mais extensa do nosso idioma é: Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconitico (46 letras)  que significa: (pneumo- + -ultra- + microscópico + latim silex, -icis, pedra, pedra vulcânica + latim vulcanus, -i, fogo + coniose) s. f. Med. Doença pulmonar causada pela inspiração de cinzas vulcânicas (dicionário Priberam online)

Todos os dias são criadas novas palavras e esses novos vocábulos vão sendo incorporados às  novas edições dos dicionários,  os neologismos, como as palavras usadas na informática, como deletar.

Dicionários disponíveis na rede:

Priberam

Aurélio

Michaelis

“Coito”


Minha filha de seis anos:

“Mãe, que significa coito?”

” (…) “- susto!

“Aonde você ouviu essa palavra filha?”

“Quando os miúdos brincam de “apanhada” (esconde- esconde) eles gritam “coito” quando estão salvos.”

Ufffffff…

Coito no Brasil é usado  para referir- se ao ato sexual; já em Portugal, vocês já viram… a palavra “coito” (ou “couto”) é usada também  numa brincadeira infantil com o significado de refúgio, local privado, proibido passar…

Para quê os homônimos e os parônimos?!


É curiosa essa nossa língua portuguesa, complicada muitas vezes, mas só porque querem.

No último livro do Saramago, “A viagem do elefante”, eu notei a palavra “espectadora”  numa frase que fazia referência à “rainha catarina”, escrita assim mesmo em minúscula: “(…) ela participa regularmente nas reuniões de estado, onde nunca se comportou como passiva espectadora“. (p.28)*

Falando nele, adoro Saramago justamente porque ele é um transgressor das regras gramaticais, como no caso do nome da rainha citado acima, e dos seus diálogos que não têm pontuação e não fazem falta. Isso prova que há um excesso de regras desnecessárias.

Eu acho muito sutil a diferença de significado entre espectador, que é aquele que assiste a um concerto, à uma peça de teatro, à televisão, enfim o que assiste a qualquer coisa….e expectador é aquele que espera algo, que tem expectativa. De certa maneira os dois esperam algo, quem assiste e quem tem expectativa. Eu acho que devia ser expectativa tanto para expectador quanto para espectador. Ficava mais simples e fácil.

Na língua portuguesa existem palabras homônimas e parônimas demais que causam confusão, uma bobagem do nosso idioma. Eu reformularia o léxico nesse sentido, pois facilitaria a escrita e a vida de estudantes e leitores.

As palavras com mesmo significado ou significados parecidos deveriam se fundir. Pronto.  As que têm a mesma grafia com significados diferentes deveria desaparecer uma das duas e para a “desaparecida” usaríamos um sinônimos  para não haver confusão. Por exemplo,  duas que são  homônimas imperfeitas ( porque tem o mesmo som, com grafia diferente):

Intenção: propósito
Intensão: intensidade ou força

Como de “boas  intenções o inferno está cheio”, intenção é a palavra mais conhecida das duas e  eu a manteria, e com “intensão” eu simplesmente a tiraria do dicionário. Intensão não é força? Pronto, usaríamos força.

O simples é que é o difícil.

* Saramago, José. A viagem do elefante, Caminho, 2008.