O nosso final tem que ser feliz #fiqueemcasa

Para quem está desatualizado, eu tentei mudar o foco do blog para algo mais amplo, não só voltado para livros. Tinha começado o “De Passagem”, mas perdi o estímulo. O Falando em Literatura já é uma marca forte e eu senti dificuldade em deixá- la para trás, afinal, este blog já é um clássico. EsclarecendoContinuar lendo “O nosso final tem que ser feliz #fiqueemcasa”

O Falando em literatura vai mudar!

Porque mudanças são necessárias…livros sim, mas também imigração, opinião, lifestyle, viagens, e o que nos ocorrer. Feliz 2020!

Resenha: Becos da Memória, de Conceição Evaristo

A última resenha do ano! Aviso: este é um LIVRAÇO! Pode haver poesia na favela? Claro! O olhar de Conceição Evaristo (Belo Horizonte, 29/11/1946) não me deixa mentir. Há muita beleza triste, dolorida e comovente na favela. A sua prosa afiada, que acerta na forma e conteúdo, conta a realidade sem apelar ao dramatismo barato.Continuar lendo “Resenha: Becos da Memória, de Conceição Evaristo”

Resenha: “O que não me sai da lembrança”, de Antonio Miranda

Esta obra viajou do Brasil até Madri com uma curiosidade: meu tio é personagem neste livro de crônicas do baiano Antonio Miranda Fernandes (Baixa Grande, 21/11/1946). Antonio é multifacetado: ator, músico, redator, produtor de TV, publicitário e também foi bancário e soldado (serviu o Exército sendo militante de esquerda!). Tem uma companheira chamada Rosa, paiContinuar lendo “Resenha: “O que não me sai da lembrança”, de Antonio Miranda”

Resenha: “O Buda dos subúrbios”, de Hanif Kureishi

Um dos melhores livros lidos este ano: “O Buda dos subúrbios”, obra clássica contemporânea do inglês Hanif Kureishi. Eu já li outros dois livros do autor “A última palavra” e “Intimidade”, sugiro que você coloque este autor na sua lista de leituras, ele é MUITO bom! Eu tive a oportunidade de estar pessoalmente com HanifContinuar lendo “Resenha: “O Buda dos subúrbios”, de Hanif Kureishi”

“Consciência corporal”: tecnologias de formação do sujeito em “O Estrangeiro”, de Albert Camus, por Elton Uliana

  Durante séculos a pena de morte, muitas vezes acompanhada de refinamentos barbáricos, tenta conter o crime; no entanto, o crime persiste. Por quê? Porque os instintos que estão em guerra no homem não são, como afirma a lei, forças constantes em um estado de equilíbrio.  (Albert Camus)     O Estrangeiro (1942), de Albert Camus,Continuar lendo ““Consciência corporal”: tecnologias de formação do sujeito em “O Estrangeiro”, de Albert Camus, por Elton Uliana”

Histórias curiosas da literatura

Os bastidores e curiosidades do mundo literário podem te surpreender: quem foi o autor latino- americano que deu um soco na cara de outro grande escritor, porque o ex- amigo havia “dedurado” à sua esposa sobre o affair com uma modelo americana? Qual grande autor irlandês pegou sífilis em um bordel e contagiou a esposaContinuar lendo “Histórias curiosas da literatura”

Kindle: prós e contras

O meu iPad de quase dez anos pifou. Na verdade, mudei de ID Apple há alguns anos e o anterior que usava no iPad caiu num limbo irrecuperável, consta como inexistente, e com isto, o tablet ficou sem utilidade. Tentei recuperar o ticket de compra na loja, mas foi impossível. Sem poder provar que oContinuar lendo “Kindle: prós e contras”

A Nobel de Literatura 2018: a polaca Olga Tokarczuc

Por causa de um escândalo sexual na academia sueca em 2018, o anúncio do Nobel de Literatura foi adiado até este mês de outubro de 2019. O nome da escritora polaca Olga Tokarczuc foi anunciado junto com o Nobel 2019, o austríaco Peter Handke, mas dele vou falar em um outro post. Olga Tokarczuc (Sulechów,Continuar lendo “A Nobel de Literatura 2018: a polaca Olga Tokarczuc”

Resenha: Literati, de Barry McCrea

“Literati” lembra “Illuminati”, a sociedade secreta do século XVII, a qual Goethe e outros “iluminados” fizeram parte. Foi a única dedução que fiz sobre o livro a priori, pois não sabia absolutamente nada sobre o autor e a obra, só tinha o título e a sinopse: “Parecia um inocente jogo literário e acabou tornando- seContinuar lendo “Resenha: Literati, de Barry McCrea”