Livros para ler nas férias

Verão na Europa, muito sol, praia e piscina. Entre as atividades aquáticas, vou de livro em livro. Trouxe comigo “A República dos Sonhos”, de Nélida Piñón, que eu tinha começado a ler no ano passado, deixei estacionado, porque acabei me … Continuar lendo Livros para ler nas férias

A culpa é de Nabokov (ou uma crítica da crítica)

Sim! É isso mesmo: a culpa é de Nabokov. Quem leu seu livro com as Lições de Literatura Russa que promoveu em conferências e lecionou nos Estados Unidos, logo entenderá minha sanha momentânea. Eu, como você também, deve escorregar, costumo … Continuar lendo A culpa é de Nabokov (ou uma crítica da crítica)

Resenha: “O jogador”, de Fiódor Dostoiévski (COM PDF GRÁTIS)

O bom de escrever sobre os clássicos é que nós, leitores comuns, podemos escrever livres do preceitos e da pressão de dizer coisas interessantes, ou conseguir abordar coisas nunca antes abordadas (se isso for possível em relação aos clássicos, pois … Continuar lendo Resenha: “O jogador”, de Fiódor Dostoiévski (COM PDF GRÁTIS)

Resenha: Uma criatura dócil, Fiódor Dostoiévski

…Enquanto ela estiver aqui, tudo vai bem: a cada instante chego perto para vê- la, mas que será de mim quando a levem amanhã e eu fique sozinho? (p. 15) Esse livro começa com uma nota do próprio Dostoievski explicando … Continuar lendo Resenha: Uma criatura dócil, Fiódor Dostoiévski

Resenha: Pobre gente, de Fiódor M. Dostoievski

Dostoievski (Moscou,11-11-1821/São Petesburgo, 09-02-1881) era engenheiro e militar, mas foi a literatura que o fez conhecido e o transformou em um dos maiores escritores mundiais. Foi preso, acusado por conspirar contra o governo russo, e na prisão, começou a desenvolver … Continuar lendo Resenha: Pobre gente, de Fiódor M. Dostoievski

A Minha Biblioteca Ampliada

Minhas últimas aquisições literárias: Dostoievski e Guy de Maupassant em edições em espanhol, livros comprados na Casa del Libro (Madri): “La mansa” de Fiódor M. Dostoievski ( “krotkaya”, título original em russo), nas traduções em português ficou como “Uma criatura gentil”, “Uma criatura dócil” ou “A dócil”, é um relato de literatura fantástica. Veja edição da Cosac Naif, na Livraria Saraiva: Esta obra é uma pequena obra-prima. O pêndulo da narrativa opera segundo a lógica das transações de uma caixa de penhores: na primeira parte, a heroína se entrega, penhora sua pureza e um ícone da Virgem. Na segunda, resgata … Continuar lendo A Minha Biblioteca Ampliada