O que é Saudade

“Saudade non ten tradución a ningunha língua. Compartida por galegos e portugueses, ten unha diferenza entre ambos. Para os portugueses é ausencia de calquera cousa; para os galegos só da terra, de Galiza, presenza que, aínda estando nela, non é completa. Dicía Rafael Dieste que unha vez nela (Galiza) a terra pide máis, algo que un non sabe o que mís é.” “Saudade não tem tradução à nenhuma língua. Compartida por galegos e portugueses, tem uma diferença entre ambos. Para os portugueses é ausência de qualquer coisa; para os galegos só da terra, presença que, ainda estando nela, não é … Continuar lendo O que é Saudade

Além do Minho

Maravilhoso blog que fala sobre a cultura e língua galega: “Além do Minho” Poema em galego de Federico Garcia Lorca: MADRIGAL A CIBDA DE SANTIAGO “Chove en Santiago meu doce amor. Camelia branca do ar brila entebrecida ô sol. Chove en Santiago na noite escrura. Herbas de prata e de sono cobren a valeira lúa. Olla a choiva pola rúa, laio de pedra e cristal. Olla o vento esvaído soma e cinza do teu mar. Soma e cinza do teu mar Santiago, lonxe do sol. Agoa da mañán anterga trema no meu corazón.” Que tal? Fácil de entender, não?! Continuar lendo Além do Minho

“Coito”

Minha filha de seis anos: “Mãe, que significa coito?” ” (…) “- susto! “Aonde você ouviu essa palavra filha?” “Quando os miúdos brincam de “apanhada” (esconde- esconde) eles gritam “coito” quando estão salvos.” Ufffffff… Coito no Brasil é usado  para referir- se ao ato sexual; já em Portugal, vocês já viram… a palavra “coito” (ou “couto”) é usada também  numa brincadeira infantil com o significado de refúgio, local privado, proibido passar… Continuar lendo “Coito”

O problema da tradução

A tradução é um tema bastante complexo, tanto que há cursos universitários em todas as partes do mundo que tratam só dele,  da tradução. Deixo aqui um texto bastante interessante da Rosângela Neres, onde ela relata a atitude de um professor que indica aos seus alunos que não sabem francês, que leiam Madame Bovary no original. Ela defende a tradução e crê ser absurda a atitude do professor- pensamento ao qual estou de acordo, “Traduzindo a tradução”: Fico impressionada com a falta de critério de certos comentários. Algumas pessoas falam do que não conhecem com tanta propriedade que chega até … Continuar lendo O problema da tradução

Para quê os homônimos e os parônimos?!

É curiosa essa nossa língua portuguesa, complicada muitas vezes, mas só porque querem. No último livro do Saramago, “A viagem do elefante”, eu notei a palavra “espectadora”  numa frase que fazia referência à “rainha catarina”, escrita assim mesmo em minúscula: “(…) ela participa regularmente nas reuniões de estado, onde nunca se comportou como passiva espectadora“. (p.28)* Falando nele, adoro Saramago justamente porque ele é um transgressor das regras gramaticais, como no caso do nome da rainha citado acima, e dos seus diálogos que não têm pontuação e não fazem falta. Isso prova que há um excesso de regras desnecessárias. Eu … Continuar lendo Para quê os homônimos e os parônimos?!