10 escritoras que participarão da Feira do Livro de Madrid 2015


Existe uma avalanche de oportunistas na Espanha, escritores de ocasião, gente da mídia, que aproveita a sua popularidade para vender livros. Para selecionar as dez escritoras abaixo, tive que passar por dezenas deles. Uma sensação estranha de invasão, de desrespeito à arte literária. Escrevi essa outra lista (clique) de escritores- estrelas, há mulheres, que não repeti nessa nova lista. Das selecionadas, as mais interessantes para o meu gosto são as escritoras nº1 e 2, veja:

1. A espanhola Mercedes Vega (Madri, 1960) é socióloga e cientista política. Romancista, escreveu “O professor de inglês” e seu último livro “Quando estávamos vivos”, narrativa de época que conta uma história de amor antes da guerra civil espanhola.

10403176_653731981426604_2926866869798081154_n

2. A chilena Carla Guelfenbein (Santiago, 1959) formada em Biologia na Inglaterra,  ganhou o Prêmio Alfaguara  2015 (130 mil euros) com o romance “Contigo na distância”, inspirado na nossa ilustre Clarice Lispector. A história foi a  escolhida entre 707 manuscritos. Esse livro eu quero!

principal-carla-guelfenbein_grande

3. A argentina Agustina Guerrero, radicada na Espanha,  é desenhista e criou um romance gráfico (um livro em quadrinhos) chamado “Diário de uma volátil”, que parece muito interessante.

ilustradora-Agustina-Guerrero-cotidianidad-Diario_TINIMA20140330_0102_5

4. A espanhola Emilia Luna Martín (Emy Luna) é professora, radialista e contista premiada. Seu livro é “Olhos de menina sobre o estreito”.

30988_425930744127271_226229664_n

5. A peruano- canadense Gloria Macher também virá à Madri apresentar seu último livro ambientado no Peru “Minha rainha”. Ela escreveu também “As artérias de Dom Fernando”.

130726_fe1dp_gloria_sn635

6. A espanhola Susana Pérez de Pablo (Cuenca 1965, Sue Pérez) é jornalista e chefe de Ciências e Tecnologia do El País, também especialista em Educação. Curiosamente, seu livro não tem nada a ver com isso: escreveu um livro de receitas de pães junto com seu marido Jesús Cerezo, “Pan Con Webos Fritos”.

_MG_5475

7. A espanhola Dolores Redondo (San Sebastián, 1969) estudou Direito e é especialista em livros de suspense/terror. Sua última obra: “Oferenda à tempestade”.

Dolores-Redondo

8. A americana Laura Rojas Marcos (Nova York, 1970) residente na Espanha desde 1978, é psicóloga e escreve livros, digamos, de auto- ajuda. Seu último,  “A família”, fala das relações tóxicas entre familiares e como mudar isso. Ela também escreveu um livro “Sentimento de culpa”. Esses livros não têm valor artístico, mas em determinados momentos podem ajudar pessoas que passam por dificuldades.

-qR5IV4G

9. A espanhola Nieves Concostrina (Madri, 1961) é jornalista (um predomínio notável dos escritores que têm essa profissão) já escreveu sete livros, o último, “Antonia”, ambientado em Madri de 1930.

2010_11_23_No_23-La+periodista+y+escritora+Nieves+Concostrina

10. A espanhola Aloña Fernández Larrechi também é jornalista. Ela escreveu um guia interessante sobre os lugares que aparecem nas séries ambientadas na Big Apple, “Nova York em séries”, ou seja, Aloña é especialista em séries americanas. Ela trabalha em programas de rádio falando sobre esse assunto.

31


Peneirando e ainda assim passaram algumas que não são escritoras literárias, literatura arte, digo. Tenho que pensar sobre o assunto. Não sei, às vezes tenho a impressão que a ficção está morrendo e a poesia, principalmente, está em seus últimos suspiros. Uffff…

Aqui você pode consultar horários e stands para os autógrafos.

Anúncios

Chilena ganha prêmio literário na Espanha com obra inspirada em Clarice Lispector


A autora chilena Carla Guelfenbein (Santiago do Chile, 1959) inspirou- se na vida de Clarice Lispector para escrever seu romance “Contigo longe” (Livre tradução de “Contigo en la distancia”) que ganhou o Alfaguara, importante prêmio literário espanhol que paga 156 mil euros (quase 550 mil reais).  O livro de Carla ganhou por unanimidade. O jurado foi composto por escritores espanhóis como Javier Cercas, Pilar Reyes, a livreira Concha Quirós, entre outros.

Contigo en la distancia concorreu com 707 outros originais. A história enlaça amores e enigmas com uma escritura ao mesmo tempo complexa e transparente. Três vozes muito bem montadas iluminam as áreas escuras da mentira e da verdade, do talento e da mediocridade, do sucesso e do fracasso. O romance escolhido fala sobre a genialidade e a poesia. Acontece em dois tempos, nos anos cinquenta e na época atual. Há quatro personagens que estão unidos por Vera Sigall, uma escritora de culto. (Guelfenbein)

Sigall é o sobrenome da bisavó de Carla, que era da Ucrânia (como Clarice). Carla é fã de Clarice, “Há muitos aspectos da sua vida que me identifico”.

Esse é um romance policial, não é hermético, intimista sim. Vera Sigall sofre um acidente e entra em coma. Toda a trama gira em torno da vida desta escritora, reconstruída por três personagens adicionais.

carla_13499-L0x0

Faz 15 anos que Carla dedica- se exclusivamente a escrever. Contigo en la distancia é a sua quinta obra.

Fonte: La voz de Galicia