“Ferin”: a segunda livraria mais antiga de Lisboa


A Ferin, a segunda livraria mais antiga de Lisboa, fundada em 1840, quase fechou as portas por problemas financeiros. Esse ano foi resgatada pelo dono da livraria “Ler devagar”, José Pinho.

24993203_902069406615287_1879127655694890548_n

Livraria Ferin, a segunda mais antiga de Lisboa. (Fotos: Fernanda Sampaio)

O nome original da livraria era “Jean- Baptiste”, um belga que fixou- se na capital portuguesa na altura das guerras napoleônicas.   Ele teve onze filhos e sete deles dedicaram- se ao mundo dos livros.

A livraria fica num dos  lugares mais charmosos de Lisboa, o Chiado, bairro com grande tradição livreira. Veja aqui uma lista de livrarias e sebos (alfarrabistas) no bairro. Escritores como Fernando Pessoa e Eça de Queirós frequentavam o bairro, este último, a Ferin.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A livraria foi passando de geração em geração, mas agora também tem outros acionistas que não são da família. Muito válida a iniciativa para manter essa livraria aberta com seus 170 anos de vida.

 

Anúncios

Livros raros (e caros) para presente de Natal


Um presente bastante especial para o Natal que se aproxima, são os livros raros e antigos autografados por algum escritor de renome. Só que essas obras não para qualquer bolso, os preços são bastante elevados.

Por exemplo, “Odas elementales”, de Pablo Neruda, edição limitada de 1954, só saíram duzentas cópias numeradas e assinadas pelo autor, custa R$ 4.942,55 (ou 1.304, euros). Veja:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Outra obra interessantíssima é essa edição do grande Gabo, Gabriel García Márquez, autor do maravilhoso “Cem anos de solidão”. O colombiano faleceu em 2014 e seus livros autografados já valem mais que ouro,  “Diatriba de amor contra un hombre sentado”, de 1994, custa quase seis mil reais! Reparem que Gabo desenhou uma flor junto com a dedicatória, lindo!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Achou caro os dois anteriores? Então, prepare- se para o próximo: edição de 1942 de Jorge Luís Borges, “El jardín de senderos que se bifurcan”, custa quase 15 mil reais!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os três anteriores foram livros em espanhol, mas na nossa língua encontrei um muito especial, primeira edição de “Rampa” (1930), de Adolpho Rocha, pseudônimo do escritor português Miguel Torga. Essa joia, amigos, só vai levar quem dispuser de R$ 31.634,26!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Agora, um dos livros que mais interessantes e que mais me emocionam, confesso, é esse exemplar do francês Guy de Maupassant. Primeira edição numerada (só 150 exemplares) de “Notre coeur” (“Nosso coração”), de 1890. Ele custa R$ 13.076,54. O livro tem 127 anos e está cheio de anotações do Guy. Não é o máximo?!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Qual é o seu preferido? Aceito qualquer um de presente de Natal, tá? 😀