Bandido Social e a neofavela: descolonização e criminalidade em “Cidade de Deus”, por Ísis Moraes

Você sabe o porquê do Brasil ser tão violento? O colonizador saiu do Brasil, mas a mentalidade da colônia permanece. Leia o irretocável e esclarecedor texto de Ísis Moraes:   Bandido Social e a neofavela: descolonização e criminalidade em Cidade … Continuar lendo Bandido Social e a neofavela: descolonização e criminalidade em “Cidade de Deus”, por Ísis Moraes

Sorteio: “Homens imprudentemente poéticos”, de Valter Hugo Mãe

Eu prometi mais cedo que sortearia um super livro se o blog atingisse as 10 mil visualizações hoje. Está quaseeee, então amanhã terá sorteio! Obrigada você que esteve aqui e que me acompanha sempre. Fora os leitores do mundo lusófono, … Continuar lendo Sorteio: “Homens imprudentemente poéticos”, de Valter Hugo Mãe

O Falando em Literatura virou tinta e papel: estreia na Revista BrazilcomZ

É pessoal, o Falando virou tinta e papel! O primeiro convite da Revista BrazilcomZ foi para escrever o blog sobre cinema, “PalomitaZ”, que começou no dia 30 de janeiro (gracias, Luzie!). Depois o convite estendeu- se à revista impressa, uma coluna … Continuar lendo O Falando em Literatura virou tinta e papel: estreia na Revista BrazilcomZ

Bem- vindo, Angola!

Bem- vindo pessoal de Angola, que está descobrindo a nossa página! Um prazer tê- los aqui, Angola é um país lindo, de gente encantadora e uma literatura forte. Uma das minhas poetisas favoritas é a angolana Ana Paula Ribeiro Tavares … Continuar lendo Bem- vindo, Angola!

Resenha: “Cada homem é uma raça”, Mia Couto

“-A minha raça sou eu mesmo. A pessoa é uma humanidade individual. Cada homem é uma raça, senhor polícia.” (Mia Couto) António Emílio Leite Couto, Mia Couto ( Beira, Sofala, Moçambique, 05/07/1955 ) é o escritor moçambicano mais traduzido e conhecido no mundo. Escritor … Continuar lendo Resenha: “Cada homem é uma raça”, Mia Couto

Nova ortografia do português

Ainda nova para muita gente, as mudanças ortográficas costumam ser questionadas  em relação a sua utilidade e necessidade, devido às diferenças culturais dos países lusófonos: Em janeiro de 2011 completará 2 anos da implantação da nova ortografia. Modificou algo no seu quotidiano? Dúvidas, dificuldades, facilidades ou é como se nunca estivesse existido? Continuar lendo Nova ortografia do português

O novo acordo ortográfico em Portugal

No Brasil, a reforma ortográfica entrou em vigor no dia 1º de janeiro de 2009; o povo português mais hostil às mudanças,  será  obrigado a utilizar a nova maneira de escrever o português a  partir de 2010. Para muitos portugueses, … Continuar lendo O novo acordo ortográfico em Portugal

Saramago no Brasil e a reforma ortográfica

José Saramago vai estar no Teatro Folha em São Paulo, na próxima sexta- feira, para uma entrevista (entradas esgotadas). Ele é defensor da nova reforma ortográfica da língua portuguesa, acredita que a diversidade enriquece o idioma. (Folha) Acredito que muitos … Continuar lendo Saramago no Brasil e a reforma ortográfica

A nova ortografia do português

Já foi promulgada pelo presidente português Cavaco Silva, a nova ortografia da língua portuguesa, portanto, oficialmente já vale a nova maneira de escrever o português em Portugal, Brasil, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe (que já haviam assinado o acordo); falta Timor Leste que na altura da proposta ainda não era um estado soberano. Leia notícia aqui. Espero que as editoras estejam atentas para começar já as novas publicações com a nova ortografia. Veja o que mudou: HÍFEN Não se usará mais: 1. quando o segundo elemento começa com s ou r, devendo estas consoantes ser duplicadas, como em … Continuar lendo A nova ortografia do português

Bem- vindos!

Abaixo, o poema do brasileiro Olavo Bilac intitulado “Língua Portuguesa”, dele surgiu o endereço do blog: Última flor do Lácio, inculta e bela, És, a um tempo, esplendor e sepultura: Ouro nativo, que na ganga impura A bruta mina entre os cascalhos vela… Amo-te assim, desconhecida e obscura, Tuba de alto clangor, lira singela, Que tens o trom e o silvo da procela E o arrolo da saudade e da ternura! Amo o teu viço agreste e o teu aroma De virgens selvas e de oceano largo! Amo-te, ó rude e doloroso idioma, Em que da voz materna ouvi: “meu … Continuar lendo Bem- vindos!