O britânico Kazuo Ishiguro ganha o Prêmio Nobel de Literatura 2017


O Nobel de Literatura 2017, Kazuo Ishiguro, 62 anos, é japonês, mas optou pela nacionalidade britânica em 1982. A lei japonesa não permite a dupla nacionalidade.

2015_10_ishiguro

O autor foi escolhido pela Academia, porque…

“suas novelas de grande força emocional que mostram o abismo baixo nosso ilusório sentido de conexão com o mundo”.

Depois do polêmico vencedor do ano passado, Bob Dylan, venceu agora um autor dedicado só à literatura. No anúncio disseram que sua escrita é uma mistura de Kafka com Jane Austen. Parece interessante!

Já vou ali correndo buscar  Os resíduos do Dia (1989), parece um livraço!

1507187608_482902_1507202623_noticia_fotograma

Congratulations, Kazuo!

Anúncios

Resultado da enquete: “Quem vai ganhar o Nobel de Literatura 2016”


Votaram 126 vezes na enquete: “Quem ganhará o Nobel de Literatura 2016?”.

Parabéns aos sete que votaram em Bob Dylan! A pena é que não deixaram comentário no post, era obrigatório e a única forma de identificar a pessoa e seu voto.

Veja os números:

Resposta/ Votos/ Porcentagem
Lygia Fagundes Telles (brasileira) 56- 31%
António Lobo Antunes (português) 20- 11%
Haruki Murakami (japonês) 18- 10%
Milan Kundera (checo) 17- 9%
Mia Couto (moçambicano) 17- 9%
Philip Roth (americano) 10 5%
Ngugi Wa Thiong’o (queniano) 7- 4%
Bob Dylan (americano) 7- 4%
Joyce Carol Oates (americana) 5- 3%
Amos Oz (israelita) 4- 2%
Adonis (sírio) 4- 2%
Ismail Kadare (albanês) 4- 2%
Javier Marias (espanhol) 4- 2%
Jon Fosse (noruego) 2- 1%
Juan Goytisolo (espanhol) 1- 1%
Salman Rushdie (indiano) 1- 1%
Cormac McCathy (americano) 1- 1%
Don DeLillo (Americano) 1- 1%
Mircea Cartarescu (romeno) 1- 1%
Nawal El Saadawi (egípcia) 1- 1%
Margaret Atwood (canadense) 1- 1%
Enrique Vila-Matas (espanhol) 0- 0%
Joan Didion (americana) 0- 0%
Colm Tobin (irlandês) 0- 0%
Tom Stoppard (checo) 0- 0%
Charles Portis (americano) 0- 0%
Francisco Sioni José (filipino) 0- 0%
Ko Un (sul- coreano) 0- 0%
Gerald Murnane (australiano) 0- 0%
Jussi Adler-Olsen (dinamarquês) 0- 0%
David Malouf (australiano) 0- 0%
Yevgeny Yevtushenko (russo) 0- 0%
Jaan Kaplinski (estônio) 0- 0%

O box literário composto por caneca, post-its, canetas, caderno, coisinhas fofas e um livro que seria do ganhador do Nobel, ficará para outra oportunidade, mesmo porquê nem sei se Bob Dylan publicou algum livro. Que mancada da academia!

O ganhador do Nobel de Literatura 2016 é Bob Dylan!!


O cantor e compositor americano Bob Dylan (1941) é o ganhador do Nobel de Literatura 2016, o maior prêmio literário do mundo. Além do prestígio, do reconhecimento mundial e propaganda internacional (que ele nem precisa), o vencedor normalmente leva mais de 1 milhão de euros (que ele também não precisa). Na minha opinião ganhou a zebra. Se gostei? Não. Preferiria alguém que se dedica só à literatura.

140624-bob-dylan-1457_fc36cf65fb1e95993f7f2af408bc9600-nbcnews-ux-2880-1000

Tudo bem, é um músico excelente (a voz nem tanto), mas já não tem o Grammy pra isto?! Bem, vamos lá, então vamos cantar: clica aqui e ouça 10 canções do Nobel.

Creio que ninguém votou em Bob na nossa enquete, então os prêmios ficarão para um próximo sorteio (em breve).

Patrick Modiano, Nobel de Literatura 2014


Ele é francês de Boulogne-Billancourt, Patrick Modiano, 69 anos, é o último Prêmio Nobel de Literatura.

PATRICK MODIANO : "ECRIRE, C'EST COMME CONDUIRE DANS LE BROUILLARD".

Ele é muito alto, muito gentil, meio desengonçado e muito tímido. Vive numa casa antiga em Paris perto do Jardim de Luxemburgo. O autor confirma que a sua infância triste é a chave de toda a sua escritura. A memória é muito importante na sua obra narrativa.

Suas obras mais conhecidas e consideradas perfeitas são Dora Bruder e No café da juventude perdida. Anote na sua lista de leitura! Eu já anotei na minha, vamos?!

Hoje é o aniversário do escritor francês Albert Camus


Hoje é o dia do nascimento do escritor francês Albert Camus ( Mondovi, Argélia [colônia francesa]7 de novembro de 1913 – Villeblevin4 de janeiro de 1960). Ele era filósofo, dramaturgo e jornalista. Aos 44 anos ganhou o Prêmio Nobel de Literatura (1957)  por sua importante produção literária, que com seriedade clarividente ilumina os problemas da conciência humana em nosso tempo”.Camus seguia a linha de pensamento do Absurdismo, que é a tendência humana a buscar significado inerente à vida e a incapacidade para tal feito, o Absurdo surge por essa natureza contraditória.  O escritor morreu por causa de um acidente de carro que aconteceu no dia 4 de janeiro de 1960, às 13:55, ele viajava no banco de passageiro dianteiro, sem cinto de segurança, da cidade de Lourmarin a Paris.

Por ironia do destino (ou absurdo!), Camus soltou a frase “Morir en voiture est une morte imbecile” (“Não conheço nada mais idiota que morrer em um acidente de automóvel”), disse isso quando soube da morte de Fausto Coppi, um ciclista famoso atropelado por um carro uma semana antes do seu acidente. 

albert_camus620

P1170804

Camus

As obras mais famosas do pensador são “O estrangeiro” (romance), “A peste” (romance) e “Calígula” (teatro). Trecho de “O estrangeiro”:

A não ser por estes aborrecimentos, não me sentia muito infeliz. Todo o problema, ainda uma vez, estava em matar o tempo. Acabei por não me entediar mais, a partir do instante em que aprendi a recordar. Punha-me às vezes a pensar no meu quarto e, na imaginação, partia de um canto e dava a volta ao quarto, enumerando mentalmente tudo o que encontrava pelo caminho. A princípio, isto durava pouco. Mas a cada vez que recomeçava, era um pouco mais longo, pois lembrava-me de cada móvel e, para cada móvel, de cada objeto, de todos os detalhes e, para os próprios detalhes, de uma incrustação, de uma rachadura, de um bordo lascado, da cor que tinham, ou de sua textura. Tentava, ao mesmo tempo, não perder o fio deste inventário e fazer uma enumeração completa. De tal forma que, ao fim de algumas semanas, conseguia passar horas apenas enumerando o que se encontrava no meu quarto. Assim, quanto mais pensava, mais coisas esquecidas ia tirando da memória. Compreendi, então, que um homem que houvesse vivido um único dia, poderia sem dificuldade passar cem anos numa prisão. Teria recordações suficientes para não se entediar. De certo modo, isto era uma vantagem.

800px-20041113-002_Lourmarin_Tombstone_Albert_Camus

Túmulo de Albert Camus, Cemitério de Lourmarin, Lourmarin, França. RIP.