Os prejuízos da literatura ruim

Esse post surgiu de uma discussão desagradável com uma pessoa lá no meu perfil do Falando em Literatura no Facebook. Obrigada, valeu um post! Eu defendo literatura de qualidade, isso é inegociável. Literatura boa não tem que ser “difícil” nem “chata”, judiação com a nossa querida literatura e seus escritores quem pensa assim. Pode ter livro considerado muito bom que eu, você, qualquer pessoa, pode não gostar.  Você não é obrigado a gostar de tudo, mas mesmo assim, esses livros irão te acrescentar muito mais do que qualquer best- seller água-com- açúcar, enlatados e afins. Mas agora eu não vou … Continuar lendo Os prejuízos da literatura ruim

Uma ode ao amor

De repente a dor /De esperar terminou/ E o amor veio enfim/ Eu que sempre sonhei/ Mas não acreditei/ Muito em mim/ Vi o tempo passar/ O inverno chegar/ Outra vez mas desta vez/Todo pranto sumiu/ Um encanto surgiu/Meu amor  (“Você”, Tim Maia) Das lembranças Que eu trago na vida Você é a saudade Que eu gosto de ter (“Outra vez”, Roberto Carlos) Aguardando-te, amor, revejo os dias  Da minha infância já distante, quando  Eu ficava, como hoje, te esperando  Mas sem saber ao certo se virias.  (“Soneto da espera”, Vinícius de Moraes) Que este amor não me cegue nem me siga. E de mim mesma nunca se aperceba. … Continuar lendo Uma ode ao amor

A grande Hilda Hilst

Andei lendo essa grande escritora brasileira e acabei fascinada. Coisa linda a escritura dessa mulher. Hilda Hilst era uma mulher à frente do seu tempo, transgressora, inovadora, corajosa, uma mulher admirável. Quebrar regras moralistas na conservadora sociedade brasileira não é fácil. Descendente de portugueses por parte de mãe e de germano- franceses por parte de pai, filha única de um fazendeiro, ela foi uma das representantes mais importantes da literatura brasileira do século XX, uma Guimarães Rosa de saia. Hilda Hilst, Jaú, 21 de abril de 1930 — Campinas, 4 de fevereiro de 2004 “Aflição de ser eu e não ser outra. Aflição de não ser, amor, aquela Que muitas … Continuar lendo A grande Hilda Hilst