Os prejuízos da literatura ruim

Esse post surgiu de uma discussão desagradável com uma pessoa lá no meu perfil do Falando em Literatura no Facebook. Obrigada, valeu um post! Eu defendo literatura de qualidade, isso é inegociável. Literatura boa não tem que ser “difícil” nem “chata”, judiação com a nossa querida literatura e seus escritores quem pensa assim. Pode ter livro considerado muito bom que eu, você, qualquer pessoa, pode não gostar.  Você não é obrigado a gostar de tudo, mas mesmo assim, esses livros irão te acrescentar muito mais do que qualquer best- seller água-com- açúcar, enlatados e afins. Mas agora eu não vou … Continuar lendo Os prejuízos da literatura ruim

Ganhador do Prêmio Nobel de Literatura 2011: Tomas Tranströmer

Esperei ansiosamente o anúncio do ganhador do Nobel de Literatura 2011,  hoje ao meio- dia (07:00- hora brasileira), pois Ferreira Gullar estava no páreo, mas com poucas possibilidades, porque o favorito era o cantor americano Bob Dylan. Num clima de tristeza escrevo esse post,  dia cinza,  dia em que faleceu Steve Jobs, o revolucionário que criou a Apple ( sou fã de carteirinha). Bem que podia ter sido Gullar pra quebrar o jejum brasileiro e dar uma animada, mas foi o poeta Tomas Tranströmer o ganhador do Prêmio Nobel de Literatura 2011 e Dylan também ficou a ver navios. Eu já falei … Continuar lendo Ganhador do Prêmio Nobel de Literatura 2011: Tomas Tranströmer

A morte de Clarice Lispector, por Ferreira Gullar

Ferreira Gullar era amigo de Clarice Lispector. Quando soube de sua morte (1977) não conseguia parar de pensar na amiga recém- falecida. Escreveu “Na vertigem do dia” no táxi indo para o aeroporto, pensando nela: Enquanto te enterravam no cemitério judeu do Caju* (e o clarão de teu olhar soterrado resistindo ainda) o táxi corria comigo à borda da Lagoa na direção de Botafogo as pedras e as nuvens e as árvores no vento mostravam alegremente que não dependem de nós Veja o escritor contando como soube da morte de Clarice e aonde compôs o poema: * No poema original … Continuar lendo A morte de Clarice Lispector, por Ferreira Gullar

Cidades Inventadas, Ferreira Gullar

Em dezembro do ano passado assisti ao seminário “Cidades Míticas e exóticas”, na Universidade Complutense de Madri; por isso, o título da obra de Gullar me chamou a atenção quando eu passeava pelas estantes da Bertrand em Lisboa no último Natal. … Continuar lendo Cidades Inventadas, Ferreira Gullar