Antes que eu morra ou esqueça

Este foi o ano que pulamos a primavera. O calor chegou como um abraço na segunda quinzena de maio. Abrir a janela e sentir o mormaço no rosto, fez- me esquecer, por um momento, que só vi os meses de primavera pela janela. Janela esta, meu camarote sem sol, desde o dia 6 de maio.Continuar lendo “Antes que eu morra ou esqueça”

Leitura: “Estatuto do amor”, de Nélida Piñón

Está acontecendo um movimento literário mundial de leitura de textos e eu não quis ficar de fora. Escolhi para o primeiro #leituraemcasa do Falando em Literatura, um muito emocionante e forte (eu sempre choro quando leio): “Estatuto do amor”, de Nélida Piñón. A leitura você pode ver no meu canal do YouTube, que estava semContinuar lendo “Leitura: “Estatuto do amor”, de Nélida Piñón”

Dez anos e um adeus

Parece que tudo secou, todas as velhas vontades, os antigos suspiros e desejos. As coisas boas e ruins, ainda bem, um dia acabam. O fim é o destino de tudo. É preciso reinventar- se, destruir para reconstruir. As palavras fogem esbaforidas de mim, chegaram ao fim da linha e vão caindo no despenhadeiro do fimContinuar lendo “Dez anos e um adeus”

Resenha: “Ciranda de pedra”, de Lygia Fagundes Telles

Tenho uma leve lembrança da novela “Ciranda de Pedra”, que passou na minha infância (1981), mas nada significativo em relação ao enredo, só lembro do rosto de Lucélia Santos; portanto, essa obra era como uma desconhecida para mim. Sei que a novela da Globo foi um tremendo sucesso, foi reprisada e ganhou um remake emContinuar lendo “Resenha: “Ciranda de pedra”, de Lygia Fagundes Telles”

Os sapatos de lã

Ontem eu peguei a linha 146 de ônibus.  Na minha rua passa de seis em seis minutos e nos deixa no centro. Há restrições de tráfego de carros por causa da poluição e muita dificuldade para estacionar. Transporte público em Madri é uma excelente (e confortável!) escolha. Desci na Praça de Cibele (“Plaza de Cibeles”,Continuar lendo “Os sapatos de lã”

Tormento #1

No Natal de 2009, na cozinha da casa de minha mãe em Lisboa, enquanto ela preparava o tradicional bacalhau para a ceia da família, recebi a notícia. Eu havia viajado de Madri com o marido e filha para passar as festas de fim de ano com meus pais e irmãos. O aroma de festa, aContinuar lendo “Tormento #1”

Primeiro dia da Feira do Livro de Madri (vídeo)

Irei reativar o canal Falando em Literatura no YouTube. Não sei se tenho pique para ser “booktuber”, mas pelo menos meus passeios literários irei colocando por lá.  Eu tinha colocado esse vídeo no meu canal pessoal, mas acabei desistindo desse, meu caso mesmo é com a literatura.  O vídeo foi editado e está disponível noContinuar lendo “Primeiro dia da Feira do Livro de Madri (vídeo)”

Como ler mais rápido?

O que te impede de ler? O que te impede de ler livros extensos? Se você é do tipo que pega o livro mais fininho da biblioteca ou livraria, e ainda assim, demora semanas ou até meses para terminar o livro…não sinta- se mal,  nem culpado! Você não está só, acontece com muita gente. Pior é desistir antes deContinuar lendo “Como ler mais rápido?”

O poder da alegria, do filósofo Frédéric Lenoir

A natureza nos avisa mediante um signo preciso de que alcançamos nosso destino. Esse signo é a alegria. (Bergson) Esse livro não se vende como auto- ajuda, embora possa ajudar muita gente. O autor nos convida a conhecer a alegria verdadeira e profunda, a forma mais desejável de felicidade, baixo uma visão filosófica. E sim, háContinuar lendo “O poder da alegria, do filósofo Frédéric Lenoir”

Resenha: “Bartleby e companhia”, de Enrique Vila- Matas

O prolixo Enrique Vila- Matas (Barcelona, 1948), publicou o seu primeiro livro em 1973, “Mulher no espelho contemplando a paisagem”; a última obra recém- publicada (2017), “Mac e seu contratempo”, é o 29º romance. Também é ensaísta, possui  treze livros publicados nesse estilo, além de outros textos em coletâneas. É um dos escritores mais premiados da atualidade, cercaContinuar lendo “Resenha: “Bartleby e companhia”, de Enrique Vila- Matas”