A boba da corte

Jussara*, a menina que saiu do subúrbio de São Paulo, agora mora num reino europeu, quer dizer, morava. Ontem, Jussara pegou um voo de repatriação pago pelo consulado brasileiro depois de 15 anos tentando o “sonho europeu”. Religiosamente, Jussara enviava dinheiro todos os meses à família no Brasil: mãe dona-de-casa, pai feirante e mais trêsContinuar lendo “A boba da corte”

A briga pelo poder é mais importante que o Brasil

O Brasil é um palco irreconciliável. Direita e esquerda disputam um cabo-de-guerra, como naquela brincadeira infantil. Só pode haver um lado vencedor e o outro tem que acabar no chão, espatifado, na lama, humilhado e sujo, de outra forma não serve. O Brasil não importa. Derrotar o outro, sim, é fundamental, não importa o preço.Continuar lendo “A briga pelo poder é mais importante que o Brasil”

Você já roubou um livro?

Eu nunca roubei um livro. Aliás, nunca roubei nada. Já fui roubada algumas vezes, isso sim. Quando eu tinha 11 anos , peguei uma caneta de quatro cores no escritório do meu tio e a levei comigo, “ele tem tantas, acho que não tem problema”. A caneta era linda, nunca tinha visto uma daquelas, eraContinuar lendo “Você já roubou um livro?”

O fim das bancas de jornais?

A era digital acabou com 50% das tradicionais bancas de jornais e revistas nos últimos 20 anos na Espanha. A tendência é mundial, assim também aconteceu no Brasil. A realidade parece pior que a estatística citada. Depois de ver a notícia no telejornal espanhol, comecei a observar as bancas nas ruas. A solução aí eContinuar lendo “O fim das bancas de jornais?”

Como ter uma memória de elefante

“Os elefantes nunca esquecem quando foram maltratados por alguém, nem esquecem o cheiro da roupa da tribo que os atacou anteriormente, são capazes de distinguir o chamado de mais de cem indivíduos diferentes e de recordar rotas concretas que os levem às mais diversas fontes de alimento e água” Tudo começa pelo pensamento. Um pensamentoContinuar lendo “Como ter uma memória de elefante”

Os sapatos de lã

Ontem eu peguei a linha 146 de ônibus.  Na minha rua passa de seis em seis minutos e nos deixa no centro. Há restrições de tráfego de carros por causa da poluição e muita dificuldade para estacionar. Transporte público em Madri é uma excelente (e confortável!) escolha. Desci na Praça de Cibele (“Plaza de Cibeles”,Continuar lendo “Os sapatos de lã”

Crítica: O fundo do poço ou a mediocridade do mercado editorial

Por Gerson de Almeida, colaborador Já queria ter escrito este comentário há mais tempo, hoje ele pode soar deslocado de sua cronologia, mas, se analisarmos o presente e pensarmos no futuro prometido, estará calcado na trilha fulcrada pelos passos que damos agora. Vou escapar do tom amedrontador e escatológico, porém não tem como fugir àContinuar lendo “Crítica: O fundo do poço ou a mediocridade do mercado editorial”

Livros para ler nas férias

Verão na Europa, muito sol, praia e piscina. Entre as atividades aquáticas, vou de livro em livro. Trouxe comigo “A República dos Sonhos”, de Nélida Piñón, que eu tinha começado a ler no ano passado, deixei estacionado, porque acabei me envolvendo com outras coisas. Retomei e hoje finalizei as compactas 705 páginas. Esse é umContinuar lendo “Livros para ler nas férias”

Leitura Além das Leituras: A Decepção Com Um Escritor

Leitura Além das Leituras: A Decepção Com Um Escritor Por Gerson de Almeida, colaborador. É no mínimo curioso – por que não, engraçado? – como alguns escritores enganam e conseguem enganar turbas de gente com suposto elevado letramento e outros não conseguem sequer ser ouvidos. Marcelo Mirisola fica no primeiro grupo: como me enganei comContinuar lendo “Leitura Além das Leituras: A Decepção Com Um Escritor”

Quer colaborar com o Falando em Literatura?

Tem vontade de publicar, mas não tem coragem? Nós te damos a oportunidade! Resenhas críticas, artigos de opinião, crônicas, notícias, tudo o que envolve o mundo da literatura, cinema e artes em geral, tudo é muito bem- vindo! Escreva para: falandoemliteratura@gmail.com e faça parte da nossa história!