A culpa é de Nabokov (ou uma crítica da crítica)

Sim! É isso mesmo: a culpa é de Nabokov. Quem leu seu livro com as Lições de Literatura Russa que promoveu em conferências e lecionou nos Estados Unidos, logo entenderá minha sanha momentânea. Eu, como você também, deve escorregar, costumo … Continuar lendo A culpa é de Nabokov (ou uma crítica da crítica)

O Arquipélago de Maisnardi

Diogo Mainardi é aquele que de tanto atazanar o governo d’O Chefe, Lula, (excelente atazanação, por sinal, feita como poucos, para não dizer: como ninguém mais soube fazer. Primeiro porque falta coragem; segundo porque a imprensa brasileira tem o rabo … Continuar lendo O Arquipélago de Maisnardi

Sobre as traduções de “Ulisses”, de James Joyce

A tendência brasileira à “totemização” começou como uma febre. Febrezinha tratável, algo normal se tratando do país onde brotam mais celebridades do que bandos de refugiados em caminhões pela Europa. Com o passar do tempo tornou-se necessário um estudo patológico … Continuar lendo Sobre as traduções de “Ulisses”, de James Joyce

Resenha: “O jogador”, de Fiódor Dostoiévski (COM PDF GRÁTIS)

O bom de escrever sobre os clássicos é que nós, leitores comuns, podemos escrever livres do preceitos e da pressão de dizer coisas interessantes, ou conseguir abordar coisas nunca antes abordadas (se isso for possível em relação aos clássicos, pois … Continuar lendo Resenha: “O jogador”, de Fiódor Dostoiévski (COM PDF GRÁTIS)

Onde estão os poetas?

Quando havia “Correio do Amor” no colégio – quando havia colégio, hoje existem centros de formação delinquente –, apareciam alguns poetas de opereta. Fui um deles. Espero não precisar avisar que copiei um soneto de Vinícius de Moraes (1913 – … Continuar lendo Onde estão os poetas?