Como eu consegui duas cidadanias europeias

Você sonha em morar na Europa? Uma das formas é procurar saber se você tem direito à cidadania.

Os meus três passaportes. Três países importantes na minha vida, que de sangue e coração, me transformaram no que sou hoje. Sou hispano- luso- brasileira!

Como expliquei neste post aqui (clica), eu nunca pretendi sair do Brasil. Só aconteceu quando casei com um espanhol e decidimos morar em Barcelona, terra natal do meu marido. E na terra de Gaudí solicitei a nacionalidade portuguesa. Tenho pai, avós, bisavós, tataravós portugueses de Aveiro e do Porto.

No ano de 2005, dei entrada no consulado de Barcelona, apresentei a minha certidão e a do meu pai. Meu velho morou no Brasil por 44 anos e faleceu no Brasil em 2014, infelizmente. Pai, que saudades! Quem consegue superar a falta de um pai? Eu não consegui até hoje, só vou me enganando para poder seguir adiante.

Para a minha surpresa, a certidão portuguesa chegou por correio em pouco mais de um mês. Com o “assentamento” também chegou uma carta simpática dando- me os parabéns. Foi assim que “nasci” portuguesa.

Quando o pedido é de filho de portugueses e não há nenhuma dúvida quanto à documentação, o processo é bem rápido. Mas, infelizmente, acontecem muitas fraudes.

Recentemente, uma dessas fraudes deixou- me estupefata: a invenção de parentesco entre brasileiros e portugueses falecidos no Brasil. Dois brasileiros criaram um esquema de fraude internacional, mas já foram presos: eles pegavam certidões de portugueses falecidos no Brasil, criavam certidões falsas atribuindo filiação, legalizavam tudo em cartórios no Brasil e entravam com o processo de cidadania. Os brasileiros pagavam 20 mil reais, uma fraude milionária. Veja este vídeo da Rede TV, que conta tudo. Agora punir a todos os que pagaram por isto, esses falsos descendentes. Fico pensando: já pensou se algum deles usou o nome do meu pai, por exemplo, para esta fraude?! Enfim, indignante! Quem usa este artifício para imigrar, boa coisa não é. Eu olho com desconfiança os novos portugueses dessas últimas “levas”. “Será filho ou filha mesmo?!”.

Que está acontecendo no Brasil? Por que tanta gente quer sair do país usando, inclusive, métodos criminosos? A pena para quem paga por esses documentos é de três anos de prisão. As notícias de fraudes são inúmeras nos últimos anos… e as que ainda estão por descobrir.

Detidos sete brasileiros em esquema de obtenção da nacionalidade portuguesa.

Há também muitas fraudes na obtenção da cidadania italiana, uma vergonha, um verdadeiro vexame! Isto contribui muito para uma imagem ruim, de desconfiança, do nosso povo no exterior, estão exportando a trambicagem, (vergonha…vergonha!):

Casos de brasileiros envolvidos em fraudes para obter cidadania se espalham pela Itália.

Entre 2002 e 2017, foram nacionalizados 170 mil brasileiros. Agora vai saber quantas dessas foram com documentos falsos…

E justamente por causa de tantas fraudes, cada vez vai ficando mais difícil conseguir a cidadania. Em 2018, deram entrada com pedidos de nacionalidade 1637 pessoas e só três conseguiram. E esses eram brasileiros. E um deles estava sendo investigado pela Lava a Jato, veja aqui.

Para ser aceito como nacional português, o neto ou neta precisa mostrar vínculo com o país ou com a comunidade portuguesa no Brasil. Há gente que nem sabe o nome da cidade natal dos avós ou não sabe absolutamente nada da cultura portuguesa…esses não irão conseguir. O vínculo tem que ser provado.

A imigração ilegal, a violência e as fraudes fizeram o Parlamento Europeu aprovar uma lei , que entrará em vigor em 2021: brasileiros precisarão de autorização, de uma espécie de visto para entrar na Europa. Justos pagarão pelos pecadores; mas, os justos sempre estão tranquilos, pois nada devem ou temem. Só ficarão nos aeroportos quem deve ficar mesmo.

Bom, voltarei mais vezes falando sobre a imigração portuguesa. Agora a espanhola:

A minha cidadania espanhola saiu no final do ano passado, em setembro. E em dezembro, fiz o juramento. O processo de cidadania foi muito lento, demorou cinco anos. A demora foi por causa do governo de direita em questão, o PP, anti- imigração, que não andou com os processos. A minha cidadania foi por tempo de residência. Eu poderia ter dado entrada há muitos anos, mas por já ser cidadã europeia, acomodei- me.

Em 2014, quando prestava serviços de tradução para a Espanha Fácil, que é uma empresa, entre outros, de legalização de brasileiros na Espanha, dei entrada na cidadania. A Espanha Fácil trouxe a minha certidão de nascimento do Brasil e antecedentes criminais. Minha família toda já morava do lado de cá, não tinha a quem pedir, então foi excelente pra mim. A dona da Espanha Fácil, Renata, é uma amiga querida e uma pessoa de confiança.

Assim que assumiu o governo socialista de Pedro Sánchez, todas as nacionalidades que estavam empacadas desde 2014 foram resolvidas rapidamente.

Quando fui apresentar os documentos, a funcionária estranhou: “nossa, seu expediente tem mais de quarenta folhas, normalmente são três!”. E me perguntou se eu era subsaariana (pelo jeito, complicam a coisa para esta etnia). Não. Depois ela entendeu: eu já tinha dupla nacionalidade e tiveram que investigar sobre mim em dois países.

Não tive que renunciar nenhuma nacionalidade, porque Brasil, Portugal e Espanha são compatíveis, têm acordos favoráveis. Mas tive que renunciar o meu terceiro sobrenome, o do marido, porque na Espanha você só pode ter dois e eu conservei os meus de nascimento.

O dia do juramento foi marcado para o dia 13 de novembro de 2019, no salão de casamentos do Registro Civil, na Calle del Pradillo, 66. Marido e filha me acompanharam às 9 da manhã. A sala estava lotada de novos espanhóis, que iam passando diante da juíza e da escrivã. Tivemos que ler o curto juramento que estava num papel: “prometo obediência ao rei, às leis e a constituição espanhola”. Assinamos um papel, e voilà! Nasceu uma espanhola aos 47 anos!

O próximo passo aconteceu no dia 16 de dezembro de 2019: fui à delegacia da polícia na Calle Virgem de la Roca, ao meio- dia, dessa vez sozinha, para fazer o DNI (documento nacional de identidade) e o passaporte.

E como posts longos ninguém têm paciência de ler, encerro por aqui dizendo que…se você sonha em imigrar, há muitas formas de fazer legalmente, há muitos tipos de vistos, além da cidadania. Se você não encaixa em nenhum, então este país não te quer; portanto, conforme- se e não entre pela porta dos fundos. O que começa mal…já sabe, não termina bem. Faça as coisas dentro da lei, para que o sonho não se transforme em pesadelo.

Precisa de mais informações? Leia em sites oficiais de Portugal e da Espanha:

SEF- Serviço de Estrangeiros e Fronteiras

Extranjería- Ministerio del interior

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.