Kindle: prós e contras

O meu iPad de quase dez anos pifou. Na verdade, mudei de ID Apple há alguns anos e o anterior que usava no iPad caiu num limbo irrecuperável, consta como inexistente, e com isto, o tablet ficou sem utilidade. Tentei recuperar o ticket de compra na loja, mas foi impossível. Sem poder provar que o eletrônico é meu, a Apple nada faz. Que isto sirva de alerta para quem tem um iPad.

Depois desta experiência ruim, saí em busca de outro tablet. Da Apple nem pensar! Na verdade só usava para ler e-books, o que me fez mudar de direção e ir atrás de um e- reader.

Os tablets são mais baratos que os e- readers. Absurdo, sendo que os primeiros são computadores portáteis, têm várias utilidades. Mesmo assim, insisti no e- reader, porque nunca tive e queria experimentar, além de não querer a distração da Internet.

Pensei primeiro no mais popular, o Kindle da Amazon. A desvantagem é que você só pode baixar livros da plataforma deles. O BQ Cervantes e outras marcas que vi, são aceitos outros formatos.

Mas aí eu vi o Kindle Paperblank, que é à prova d’água, perfeito para uma pessoa desastrada como eu, que vive com copos e taças perto dos eletrônicos. Ele tem textura agradável de papel, o tamanho perfeito para levar na bolsa, leve, a luz agradável e uma bateria que dura duas semanas e com capacidade para uns 4 mil livros (8 GB). E eu pensei: os livros eletrônicos que compro são quase que exclusivamente da Amazon…então, está decidido! Ah, e é possível ler arquivos PDF no Kindle, pelo menos nesta versão que eu comprei.

Trouxe comigo o Kindle. E tenho trinta dias de teste com o “Unlimited”, leitura “ilimitada”, mas não sei se compensa, porque não são todos os títulos e não gosto dessa obrigação mensal. Prefiro comprar só quando realmente precise ou queira.

Prefiro livro em papel, mas para viagens e quando não quero carregar peso, o e-reader é o ideal. Fora que ter uma biblioteca portátil salva os bibliófilos que já não têm tanto espaço em casa (eu!). Um não elimina o outro, se complementam.

Quando comecei a procurar uma capa na Amazon para este Kindle, detectei que me haviam vendido o 2018 pelo preço do mais novo de 2019. Voltei e devolvi. A diferença à primeira vista é muito sutil, a moldura da frente do novo é mais fina, além disso, o novo é melhor iluminado. Ainda ficou uma ponta de dúvida se aproveitaria melhor o tablet (é só colocar em “modo avião”, que a internet não atrapalha.)

Quem tem um Kindle? Vale a pena?!

3 comentários

  1. Olá,

    Tempos atrás possuí um Kindle que foi roubado, pretendia adquirir outro e agora pensarei mais um pouco.
    Lembro-me que baixava livros independente da Amazon.
    Vou pesquisar mais um pouco.
    Muito grata por esta matéria.

    Atenciosamente, Dilma Coelho

    Curtido por 1 pessoa

    • Oi, Dilma, tudo bem? Eu preciso de um leitor eletrônico, porque moro na Espanha e é uma grande vantagem pra mim poder baixar literatura brasileira. Acabei de comprar “Becos da memória”, de Conceição Evaristo (felicidade!). Obrigada, um beijo

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.