Resenha: O prazer do texto, de Roland Barthes

Texto de prazer: aquele que contenta, enche, dá euforia; aquele que vem da cultura, não rompe com ela, está ligado a uma prática confortável de leitura. Texto de fruição: aquele que coloca em situação de perda, aquele que desconforta (talvez até chegar a um certo aborrecimento), faz vacilar as bases históricas, culturais, psicológicas do leitor,Continuar lendo “Resenha: O prazer do texto, de Roland Barthes”

Facilitando nossa vida: suportes para livros

Não há nada mais irritante do que um livro que não para aberto quando você está trabalhando, estudando ou fazendo algum trabalho universitário/ escolar. Aí fazemos aquelas improvisações que nem sempre dão certo: colocar a caneca cheia de café na página do livro para segurar, colocar outros tipos de pesos em cima, o que podeContinuar lendo “Facilitando nossa vida: suportes para livros”

Resenha: “O cérebro e a linguagem”, de Benjamin Bergen

O estudioso americano Benjamin K. Bergen é especialista em linguística e ciência cognitiva. Fez um doutorado na Universidade da Califórnia, onde é professor e diretor do laboratório de Linguagem e Cognição (segundo a biografia nesta obra, 2013). Veja um vídeo do pesquisador abordando uma questão curiosa: por que há palavras consideradas profanas em certas culturas?Continuar lendo “Resenha: “O cérebro e a linguagem”, de Benjamin Bergen”

Qual o futuro da nossa mente?

O cérebro é ainda o grande desconhecido da Ciência, que busca entendê- lo, melhorá- lo e fortalecê- lo. O livro do nipo- americano Michio Kaku, em uma linguagem bastante acessível, com muitas referências literárias e histórias interessantes, repassa as descobertas científicas na obra “O futuro da nossa mente” (minha edição é uma espanhola no finalContinuar lendo “Qual o futuro da nossa mente?”