Mario Vargas Llosa plagiou Euclides da Cunha? Crônica de Pablo del Barco


O escritor, tradutor, artista plástico e editor espanhol Pablo del Barco, no dia 11 de abril, escreveu uma crônica sobre o Panamá  Papers, intitulada (livre tradução): “O caminhão da limpeza- Somos um país ou festa de personalidades canalhas?”, onde critica a sociedade espanhola, hipócrita, que cria empresas em paraísos fiscais para a evasão de impostos. Desde a monarquia, a jogadores de futebol, artistas e escritores, como peruano nacionalizado espanhol, Mario Vargas Llosa, prêmio Nobel da Literatura. Essa parte é a que irei destacar. O trecho abaixo nos faz desacreditar mais um pouco na vida e nas pessoas. Parece que nada nem ninguém escapa aos vários tipos de corrupção e desonestidade.

Vargas Llosa foi acusado de plágio por várias pessoas diferentes (procure no Google: “Vargas Llosa plágio”) e, uma dessas pessoas, foi Pablo del Barco, pessoa que entrevistei, que conheci pessoalmente e que confio. A denúncia de Pablo foi corroborada por José Saramago na época. Leia:

e97193b9-c398-453b-bc7f-3b4b12d2fc48_1024_512Mario Vargas Llosa

Na literatura, o Nobel Vargas Llosa, bom trapaceiro literário. Recordo que quando publicou “La guerra del fin del mundo” eu o denunciei por plágio do romance do escritor Euclides da Cunha, autor de Os sertões, epopeia básica na literatura de Brasil. Estava eu com José Saramago em um debate sobre Espanha e Portugal na “La Rábida de Huelva”. Saramago confirmou, aplaudiu e me acompanhou na denúncia. Aos poucos dias, o peruano tentou desmentir aproveitando suas boas relações com o El País. Isto eu sei por mim mesmo, sem entrar na parte dos ‘ghost writers’ que dizem que ele tem e que trabalham duro. Copio a informação: “Segundo as teses da acusação, Vargas Llosa parece ter na folha de pagamento  18 escritores que, periodicamente, lhe enviam rascunhos do que poderiam  ser diferentes obras que ele, quem sabe agora não tão genial romancista, daria carta branca, para depois ir dando forma ou inclusive fazendo correções à medida que os trabalhos fossem avançando”. Há cinco espanhóis na folha de pagamento. A Academia sueca anda atrás de retirar- lhe o prêmio Nobel pela sua evidente suposta desonestidade.

img_6149Pablo del Barco- pablodelbarco.blogspot.com  www.factoriadelbarco.com


Ficaram chocados? Eu também! Não dá pra confiar nem em um Nobel da Literatura! Eu estava alheia a esta história, inocente; inclusive comprei o último livro desse “suposto” plagiador.

Comprove você mesmo: se não leu “Os sertões”, veja a sinopse e faça igual com o livro de Llosa. Resultado? Idênticos! É uma vergonha, um escândalo! Coisa que odeio é copiadores descarados!

plagio

Claro que esse Nobel fuleiro sairá da minha biblioteca!

Leia aqui o texto completo de Pablo del Barco (em espanhol).

Anúncios

1 Comment »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s