400 anos da morte de Willian Shakespeare e Miguel de Cervantes


Dia 23 de abril será o Dia Internacional do Livro. Como estão os preparativos para esse grande evento literário no Brasil? Algum movimento? Na Espanha é a principal pauta do mês, já que Shakespeare e Cervantes completam 400 anos de falecidos em abril. Entendo que no Brasil, com a atual revolução política, poucos estão pensando em comemorar algo, ainda mais literatura. Mas, sigamos.

O jornal El Mundo (Espanha) preparou um especial muito bacana sobre esses dois gênios literários, que eu vou tentar repassar um pouco aqui em português. As jornalistas Virginia Hernández e Raquel Quílez traçaram o perfil dos escritores em paralelo, como era a vida de um e do outro, “Inglês rico; espanhol, pobre”.

14609144865963Cervantes, por Ricardo, e Shakespeare, por Raúl Arias.

O inglês morreu rico e com passagem direto para a posteridade. O espanhol acabou em uma fossa comum, sem herança e sem glória. Shakespeare e Cervantes foram tratados de formas diferentes pela História. Eles são os maiores escritores da literatura universal, mas, ainda hoje, são tratados de formas diferentes nos seus países de origem. No Reino Unido estão há anos com os preparativos, inclusive o primeiro ministro David Cameron; na Espanha, parece que não há orçamento destinado para homenagens. Essa é a crítica das jornalistas do El Mundo; mas eu, brasileira, ouço falar de Cervantes em todos os lugares o tempo todo, muito mais do que ouvi falar de qualquer escritor brasileiro no Brasil. Há símbolos de Cervantes, principalmente dos seus personagens, Quixote e Sancho Pança em todas as partes. Inclusive vai começar uma leitura coletiva da obra de Cervantes. Uma beleza, não?! Fora que têm um Instituto, o Cervantes, que vejam na sua página principal, todas as matérias são sobre Cervantes. Duas casas de Cervantes viraram museus, há uma placa em outra que não resistiu ao tempo no Barrio de las Letras. Enfim, elas acham que ainda é pouco.

Fora que Cervantes virou sinônimo do próprio idioma espanhol, “A língua de Cervantes”, frase normalmente usada para o idioma hispano.

 Darío Villanueva, diretor da Real Academia Española reivindica que os aniversários de Cervantes sejam comemorações de Estado. “Ele é o inventor do romance moderno e um escritor que tornou- se clássico pela maneira que continua conectando com os leitores de hoje.”

Shakespeare e Cervantes nasceram em meio à clase média baixa, ainda que o pai do dramaturgo britânico, do campo, chegou a ser prefeito da sua cidade, Statford-on-Avon. A família de Cervantes, no entanto, não conseguiu a prosperidade. Há coincidências também nos mistérios que lhes rodeavam, muitos deles propiciados porque naquela época eram documentados o trabalho de reis e nobres, não o dos autores, que eram considerados cidadãos de terceira categoria. “Shakespeare ficou rico com suas obras e acabou sendo um bom burguês na sua terra natal”, assegura o hispanista Edwin Williamson, da Universidade de Oxford. Teve na sua velhice a segunda casa mais importante de Stratford. No entanto, “Cervantes teve uma vida muito mais agitada e desgraçada, sofreu um monte de dificuldades e frustrações que nem sequer o enorme êxito de Quixote pode remediar”.

Se quiser ler o texto completo (em espanhol) clique aqui.

No próximo dia 22, em comemoração ao Dia Internacional do Livro, vai acontecer em Madri um dia inteiro de festa literária, “La noche de los libros”, evento promovido pela prefeitura de Madri e que participam bibliotecas, livrarias, instituições, escolas, museus, muita gente envolvida para fomentar a leitura e comemorar esse dia. Os livros são vendidos com descontos, há palestras, autógrafos de livros, leituras, enfim, tudo que envolve o mundo dos livros.

E no dia 23, acontece a festa de “Sant Jordi” em toda a Espanha, tradição catalana. Foi a Catalunha que começou a comemorar o dia do livro e espalhou- se pela mundo. A UNESCO fixou essa data, 23 de abril, como o Dia Internacional do Livro justamente pela coincidência das mortes de Cervantes e Shakespeare. É uma forma de comemoração bem bonita, existe uma troca de presentes, flores e livros.

Leia, leia mais! Feliz Dia do Livro!

Anúncios

4 Comments »

  1. Adorei sua publicação!
    Tenho que confessar que nunca li Shakespeare. Mas Dom Quixote foi um dos melhores livros que li e ficou clara sua importância para a literatura no mundo todo.
    Boas comemorações da Noite dos Livros e do Dia Internacional do Livro em breve…
    Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s