13 de abril: faleceu o escritor Eduardo Galeano


O escritor uruguaio Eduardo Galeano faleceu hoje aos 74 anos em Montevidéu, segundo informou o El País. Ele foi internado na última sexta- feira por causa de um câncer no pulmão.

img_5551

Eduardo Galeano na Feira do Livro de Madri em 2013 (Foto: Fernanda S.C. Jiménez)

Eu tive a oportunidade de conhecê- lo na Feira do Livro de Madri em 2012, quando veio lançar aquele que era seu último livro, “Os filhos dos dias” (lançou um mais). O livro conta acontecimentos importantes para os 365 dias do ano; uma espécie de resgate, retoma fatos importantes e que foram esquecidos. Na época, fiz uma crítica negativa sobre o livro, o comparei com o Wikipédia, eu não percebi que o livro é uma homenagem ao povo maia e seu calendário. Eu não percebi essa intenção (mas em parte eu tinha razão, continuo com a mesma opinião de que não é um livro criativo, engenhoso, literariamente falando); mas, pior mesmo, aconteceu com os freis franciscanos que excomungaram o povo maia e só no dia 13 de abril de 2009, num dia como hoje, pediram perdão pela barbárie do passado. Agora esse dia também ficou marcado como o de sua partida. Eduardo Galeano, você sim, conseguiu ver tudo.

11112871_439996299489269_7657127489691522441_n

Não soubemos ver- te.

No ano de 2009, no saguão do convento de Maní de Yucatán, quarenta e dois freis franciscanos celebraram uma cerimônia de reparação à cultura indígena.

– Pedimos perdão ao público maia, por não entender sua cosmovisão, sua religião, por negar suas divindades, por não haver respeitado a sua cultura, por lhes haver imposto durante muitos séculos uma religião que não entendiam, por haver satanizado suas práticas religiosas e por haver dito e escrito que eram obra do Demônio e que seus ídolos eram o Satanás materializado.

Quatro séculos e meio antes, nesse mesmo lugar, outro frei franciscano, Diego de Landa, havia queimado os livros maias, que guardavam oito séculos de memória coletiva. (tradução: Fernanda S. C. Jiménez)


Aqui o meu livro autografado: 10984149_439996332822599_5925106924123255460_n esse 11139419_440017599487139_230610681469312341_n A foto abaixo é uma de suas últimas, de 1º de março em sua casa com o presidente da Bolívia, já bem mais magro que na foto anterior há três anos: 0012465264

Eduardo tinha acabado de lançar seu último livro, “Mulheres”, uma antologia que em breve será lançada na Espanha. O verso que tornou- se realidade…o medo:

Mais um dos grandes se foi, mas só fisicamente. Descansa em paz!