Um “Gran Hermano” (Espanha) com sotaque brasileiro


Ontem entrou na casa do Gran Hermano Vip na Espanha, um brasileiro chamado João Luiz Compasso, o editor da Revista Brazil com Z, revista essa na qual escrevo um blog sobre cinema e séries todas as sextas- feiras (hoje, excepcionalmente, escrevi sobre televisão, sobre o Gran Hermano). O Big Brother, que no Brasil não foi traduzido como na Espanha, é um reality show que todo mundo diz que não vê, mas vê, senão já teria saído da programação das emissoras. Não acompanho o do Brasil, pois moro fora desde 2002, assisto o daqui desde o princípio e sou uma fã assumida. Gosto de Big Brother, porque é uma novela sem roteiro, porque mesmo as pessoas sabendo onde estão, vigiadas com mil câmaras, acabam revelando- se, pois ninguém consegue fingir 24 horas ser o que não é. O formato deu certo,  cultura de massas de fácil assimilação, com personagens bem diferentes entre si, que dá sim para fazer estudos sociológicos. Somos curiosos por natureza, gostamos de ver e saber o que o outro faz. Vai negar? O Big Brother é uma janela para a vida alheia e ver o outro pode causar diferentes reações: surpresa, horror, identificação, empatia, revolta, repulsa. É um espelho que você pode enxergar a si mesmo ou rejeitar o que te incomoda no outro, denunciando como somos intolerantes com um reflexo diferente, que não é parecido com o nosso. Esse show pode ensinar a aceitar as diferenças ou trazer à tona tudo o que há de pior nas pessoas. Você não gosta? Eu acho fantástico!

Joao-Compasso-e1412712858924-279x300

Conheça o brasileiro que entrou no Big Brother espanhol. João é um rapaz culto e solidário, ele fundou com o amigo um projeto que ajuda crianças na Ásia e na África. O texto está lá no site da Brazil com Z. Legal ver um compatriota fazendo bonito. Lá tem toda a explicação de qual é a missão de João na casa. Ele ficará só até domingo. Clica!