Mares e Oceanos de Lêdo Ivo, por Gerson de Almeida


“A poesia é um segredo

Feito de êxtase e medo

Que não confio a ninguém

– Nem a mim mesmo.” (O segredo)

                                                               

O pequeno poema acima dá bem a dimensão da poesia de Lêdo Ivo: profunda. Fruto de um arraigado gosto com sabor da concisão na palavra bem posta. Ao ler em voz alta, podemos notar um silêncio entreposto entre as sílabas, a ironia que paira sem afetar, sem ofender… Eu, sou suspeito para falar, ouço até a cínica e bela gargalhada de Lêdo entres os versos. E quem o viu soltá-la, ao menos uma vez, sabe o quanto valorizava este menor e não menos importante rito do prazer de cultivar alegria.

descarga (1)

 Lêdo Ivo (1924 – 2012) foi poeta, contista, articulista, cronista, crítico, romancista, inolvidável memorialista das últimas oito décadas da literatura brasileira, e exerceria mais uma infinidade de atividades ligadas às letras, se quisesse exercê-las. Nada passou incólume por seu olhar arguto, irônico e principalmente: justo. Nascido em Maceió – Al, partiu para “fazer o Rio” expressão cunhada àqueles que partiam à Cidade Maravilhosa para fazer os estudos e se lançarem na carreira literária. Formado em Direito nunca exerceu ofício, dada a inclinação às letras.

Dentre seus tantos exercícios acadêmicos foi como articulista que – graças ao excelente artigo escrito sobre Angústia de Graciliano Ramos, tive a dimensão da obra deste – pude vir a conhecer a lucidez crítica do autor, além de dar boas gargalhadas com os causos do Velho Graça. Ivo mostrou a validade menosprezada deste que é o único romance urbano do amigo, tido pela crítica como a trama do “ciúme e do fastio”. O que está bem distante da verdade, segundo mostrou.

Numa tarde quente deste verão, sentei a reler Mar Oceano, seu livro de poemas lançado nos anos 80. Não para resenhar, mas para sentir o que sempre sinto quando releio o que gosto: sentir sabores não sentidos antes. E senti. Sua poética, nesta obra, explora a memória. Maceió de sua infância e juventude (“A Morte de Elpenor” oferece um vulto de sua andança alagoana), os primeiros passos à poesia, as primeiras mulheres, a vontade de abraçar o mundo e já demonstrando a precoce noção da sabedoria de quanto o homem é pequeno ante a imensa aura do mistério. Fala da saída de quem se lança pelo Mundo sonhando mundos.

Uma vez o amigo e também poeta, João Cabral de Melo Neto fez um epitáfio àquele que deveria ser o“Rimbaud brasileiro”, com riso Ivo declinou: “prefiro ser o Victor Hugo de Alagoas e morrer depois dos 80 anos a ser o Rimbaud brasileiro… para mim a vida está acima da arte, para viver mais eu faço qualquer negócio…”, até mesmo desprezar a arte que te fez eterno com sarcasmo e despudor. Dizia que a imortalidade na Academia só era crida por candidatos à cátedra, a respeito de seu desdém à “eternidade” ele diz em “O Incômodo”, com sua ironia peculiar:

“(…) Sabemos confusamente que Deus é aquele que não nasceu nem morrerá nunca. Jamais poderemos identificá-lo. Sendo eterno, e por isso diferente de nós, Ele está fora de nossa capacidade de discernir entre o falso e o verdadeiro.

Seria uma hipocrisia escondermos de nós mesmos a evidência de que a eternidade de Deus nos incomoda e nos faz morrer de inveja.

Fechei o livro. Gostei tanto do que li, que me aventurei no campo pantanoso do verso, leiam minha humilde homenagem a Lêdo:

 

À Procura de Lêdo Ivo

Vou sozinho!

Lendo Lêdo pelo caminho.

Vou procurar ledo…

Não sendo lido

E caso encontre Ivo,

– enquanto é cedo –

Pedirei para seguir contigo.

E caso encontre nele um abrigo

Não terei medo

Nem serei temido:

Estarei ao lado de Lêdo

E já serei seu conhecido,

Não procurarei Ivo,

Signo de que Lêdo é cativo,

Mas terei no mestre

A luz do ombro de um amigo.

Por enquanto vou sozinho,

Ledo no meu caminho.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s