Pelo Fundo da Agulha há esperança.


Esse post é totalmente emocional, porque é.

A minha vida, como a da maioria das pessoas, é feita de monotonia permeada por momentos alegres e tristes. Há fases calmas, outras tristes e há os tsunamis. Acredite, a melhor coisa que te pode acontecer é ter uma vida monótona, sem sobressaltos. A vida simples é a boa. Acordar com saúde e com as pessoas que você ama ao lado é a maior riqueza da vida. A ausência e a dor ensinam.

Precisei de silêncio. E entre o medo e o susto de alguns acontecimentos com pessoas próximas, revi também a minha vida e as minhas relações com as pessoas. Poderia ter feito tudo melhor sim. E me senti pequena, pequena, pequena…um nada. Falei coisas que nunca deveria ter dito, ajudei menos do que deveria a conhecidos e desconhecidos, deixei que os meus medos impedissem de lutar por alguns sonhos, sempre me vi pequena. Ando encolhida, impotente, sem forças para mudar o que preciso. Olho esse mar de gente, mas estou só. Perdi a vontade de tudo, até dos livros. E nessa pequenez tão insignificante abri a minha caixa de correios. Um envelope laranja, pensei que era o livro do Eduardo Tornaghi que encomendei do Brasil; subo as escadas (nunca vou pelo elevador) com o envelope debaixo do braço, ainda não tinha olhado o remetente.

Acabei de ler o envelope. E ainda não consegui parar de chorar. Mas hoje é um choro diferente. Talvez por tudo. Pelo meu pai que descansa em outra dimensão, pela minha mãe que vive e viverá muito tempo ainda e por alguém tão importante lembrar de mim, ainda mais agora e hoje. Estou olhando o envelope. Sabe a menina de Clarice em ‘Felicidade Clandestina’? Eu estou demorando em abrir o envelope, porque quero extender esse momento de felicidade. Mas eu tenho que abrir não é? Sabe quem é o remetente? Antônio Torres.

 Antônio Torres é o meu romancista brasileiro preferido. Imagina um ídolo seu te enviar voluntariamente (não paguei um centavo) um livro autografado de outro país, cheio de atenção e carinho?! Isso acabou de acontecer comigo. Acho que quando a gente está muito triste, Deus dá um sopro e manda um anjo fazer essas coisas. Ele já fez isso outras vezes, é sempre muito generoso, muito mais que a média. É humilde como as autênticas estrelas.

Hoje meu coração voltou a se encher de esperança e de vida. As coisas boas acontecem sim!

Meu mestre Antônio Torres, eu nunca vou poder agradecer o que fez por mim hoje! O senhor não faz ideia do bem que me fez. Esse livro hoje pra mim foi um prenúncio, um portal de boas novas.

O livro em questão é a 4ª edição do “Pelo fundo da agulha”, que é o terceiro livro da trilogia “Essa Terra”, “O cachorro e o lobo”. Leia a contra- capa:

1512438_377927702362796_2515227422440708992_n A linda dedicatória e veja só, ele ainda faz-me um agradecimento! Imagina, eu que tenho que agradecer!1535084_377927689029464_8760867528187060752_n A capa é azulada, a foto não captou a cor exata:10488400_377927729029460_5180481646363978999_nPor favor, prestem atenção na obra de Antônio Torres! Membro da Academia Brasileira de Letras, membro da Academia Baiana de Letras, autor premiado, literatura do mais alto nível e melhor pessoa ainda!

OBRIGADA, meu mestre! E que venham muitas novas edições, sucesso e saúde!

Anúncios