Três poemas concretos


A poesia concreta é uma espécie de poesia experimental em forma de ideogramas. São textos visuais que exprimem ideologias, ideias. As letras e as formas se complementam formando um todo cheio de significados.

José Paulo Paes (Taquaritinga, 1926 – São Paulo, São Paulo, 9 de outubro de 1998).

José Paulo

Veja como a força dos cincos versos de uma palavra só podem expressar toda a frieza e caráter dos banqueiros:

Epitáfio Para Um Banqueiro

Negócio 
Ego 
Ócio 
Cio 
O

Décio Pignatari (Jundiaí, 20 de agosto de 1927 – São Paulo, 2 de dezembro de 2012)

Décio Pignatari 10

Esse é um poema que dá para gente brincar, fazer várias interpretações, ler de baixo para cima, de cima para baixo, ler intercalando versos, é um poema vivo, que parece que se movimenta mesmo:

(sem título)

PV Rio de Janeiro (RJ) 06/12/2012 Poema de Décio Pignatari Foto: Divulgação

Augusto de Campos (São Paulo, 14 de fevereiro de 1931)

augusto de campos

Brincar com palavras, a fragmentação enigmática. O fagote é um instrumento de sopro e o esôfago faz parte do aparelho digestivo. O poema vai descendo, descendo…as palavras vão sendo degustadas, digeridas. O poema é muito longo, aí está a metade:

Bestiário para fagote e esôfago

sim
poeta
infin
itesi
(tmese)
mal
(em tese)
existe
e se mani
(ainda)
festa
nesta
ani
(triste)
mal
espécie
que lhe é
funesta
 
ao ver- se
perse
guido
bufa
lo se
esconde
flor de
estufa
sua
língu
a  conde
corada
a extingu
ir- se
 
ou
para
sita
para 
li
ti
co
se
equi
[con
dor]
para
[no
vôo]
libr
brisa]
ista
à
seca
lista
de
zebra
em 
zoo
 
se
tem
fome
come
fama (…)

Anúncios