“Dom Casmurro”, de Machado de Assis

(…) Talvez abuso um pouco das reminiscências osculares; mas a saudade é isto mesmo; é o passar e repassar das memórias antigas. Ora, de todas as daquele tempo creio que a mais doce é esta, a mais nova, a mais compreensiva, a que inteiramente me revelou a mim mesmo. (Dom Casmurro lembrando do seu primeiroContinuar lendo ““Dom Casmurro”, de Machado de Assis”

“Eu me chamo Antônio”, um bom legado de 2013

A internet ajuda a lançar nomes na música e também na literatura. Surgiu em 2013 uma maneira criativa e inusitada de se fazer versos desenhados em guardanapos. “Antônio”, nome fictício de Pedro Gabriel (1982), nascido na África e radicado no Brasil desde os 12 anos é o responsável por essa revolução literária na internet. QuemContinuar lendo ““Eu me chamo Antônio”, um bom legado de 2013″

Feliz Aniversário, de Clarice Lispector

Nesse Natal, desejo a todos os leitores que me acompanharam nesse ano, muita leitura, além de saúde, paz, prosperidade e amor verdadeiro! Que as relações familiares sejam, efetivamente, de amor e interesse mútuo, não só por convenções sociais, como nesse texto da Clarice: Feliz Aniversário A família foi pouco a pouco chegando. Os que vieramContinuar lendo “Feliz Aniversário, de Clarice Lispector”

O peru de Natal, Mário de Andrade

O Peru de Natal O nosso primeiro Natal de família, depois da morte de meu pai acontecida cinco meses antes, foi de conseqüências decisivas para a felicidade familiar. Nós sempre fôramos familiarmente felizes, nesse sentido muito abstrato da felicidade: gente honesta, sem crimes, lar sem brigas internas nem graves dificuldades econômicas. Mas, devido principalmente àContinuar lendo “O peru de Natal, Mário de Andrade”