Como podíamos ser conscientes de que com aquele ato tão simples, com o mero feito de avançar dois ou três passos e transpassar um umbral, estávamos assinando a sentença de morte do nosso futuro em comum e torcendo as linhas do futuro de forma irremediável. (p. 22)

Maria Dueñas  (Puertollano, Ciudad Real, 1964) é doutora em Letras com inglês e professora titular na Universidade de Murcia, atualmente de licença. Ao longo de sua carreira profissional deu aulas em universidades americanas e participou em múltiplos projetos educativos, culturais e editoriais. Em 2009 entrou para o mundo da literatura com O tempo entre costuras,  romance que se converteu no grande sucesso editorial dos últimos anos e que cativou por igual a leitores e a crítica. As cifras de venda superam amplamente um milhão de exemplares. Seus direitos foram cedidos para traduções a mais de vinte e cinco línguas e para uma ambiciosa série de televisão na Espanha, da cadeia Antena 3. Informações do site da autora.IMG_5530

María Dueñas na Feira do Livro de Madri de 2011. (foto: Fernanda Jiménez)

Esse é um livro que corre fácil, a história é interessante e movimentada, não aborrece. O livro já dá uma muito boa impressão logo pela capa, tudo muito bem cuidado. Dá para notar que foi um livro pensado, feito com dedicação e que veio para ficar. Madri, Marrocos (Tanger) e Lisboa são os cenários da história.

941502_208552342656272_1261100347_n

1383894_208552429322930_1856661242_n

“O tempo entre costuras” é dividido em quatro partes, mais epílogo, nota da autora e bibliografia.

A história é ambientada em Madri, quem conhece a cidade sente uma identificação e uma verdade imediata “é assim mesmo!”. A autora conseguiu captar muito bem a atmosfera das ruas madrilenhas. Quem não conhece Madri é uma excelente oportunidade para sentir a cidade exatamente como ela é, o mesmo acontece com Tanger e Lisboa. Embora seja ficção, a autora deu muita verossimilhança a sua narrativa. Sira Quiroga é uma costureira de família humilde, criada pela mãe também costureira. Ela começou como ajudante até chegar ao cargo de costureira. A pequena fábrica fechou e Sira teve que procurar outro ofício. Comprou com o noivo Ignacio Montes, moço humilde, mas muito decente e trabalhador, uma máquina de escrever para que Sira aprendesse datilografia e conseguisse entrar para o serviço público, como Ignacio. Assim os dois conseguiriam ter uma vida mais confortável. Mas quem imaginaria que esse simples ato de comprar uma máquina mudaria completamente a vida de Sira? Ela conheceu o amabilíssimo, belo e sedutor gerente da Hispano- Olivetti, Ramiro Arribas, de 34 anos, com quem começou a trair Ignacio e pouco tempo depois terminou com o noivo. Com Ramiro começou a ter uma vida muito mais sofisticada, conheceu outra Madri, a dos restaurantes caros, espetáculos e vida noturna. Sira estava completamente apaixonada por Ramiro.

1396073_208551115989728_146783272_n

O meu exemplar autografado. (Feira do Livro de Madri, 2011)

A mãe de Sira, Dolores, que a havia criado sozinha, estava desgostosa com a situação da filha, que era muito jovem e morava com um homem sem estar casada. O estilo de vida noturno da moça, a vida desregrada com um cara que ela mal conhecia,  então decide levá- la para conhecer o seu pai, que é um engenheiro rico, Gonzalo Alvarado, que mora na Calle Hermosillas. Os pais de Sira tinham se conhecido muito jovens, há 25 anos e Sira nasceu três anos depois. Gonzalo não teve coragem de lutar por Dolores, existia a oposição dos pais dele. Foi Dolores que decidiu que Gonzalo não tivesse nenhum contato com a filha de ambos. O pai procurou e marcou um encontro com as duas, pois a situação política em Madri estava convulsa e ele temia ser assassinado junto com as duas. Era a época da ditadura do general Francisco Franco. O homem deixou uma pequena fortuna para as duas e pediu que elas partissem da cidade imediatamente.

Sira e Ramiro partem para Tanger no final de março de 1936, com a intenção de colocar uma academia de datilografia. Ramiro começa a mostrar suas outras caras, chegava tarde, bêbado e cheirando a cigarro. Outras noites nem chegava. No fim, Ramiro deixou um bilhete de despedida, foi embora e deixou Sira grávida. A nossa protagonista sempre é movida pelo amor, conhece no futuro a Marcus. Sua profissão também passa a ser algo inusitado, mas no final…

Bem, mas não vou contar o resto da história, agora é com vocês!

O romance virou série de tv na Espanha, com muito sucesso:

 

O livro original em espanhol. A capa brasileira é igual, só que escrita em português, obviamente:el_tiempo_entre_costuras

Dueñas, María. El tiempo entre costuras. Editora Planeta, Madrid, 2011. 638 páginas

Anúncios

26 comentários »

  1. E você gostou do livro? Foi um dos excelentes livros que li em 2010. Bati as 400 e tantas páginas em um fim de semana. Uma grande aventura… Concordo com você, a capa de Jack Vettriano é perfeita para livro e que a ambientação de Madri, Lisboa e até mesmo do Norte da África estão maravilhosas.

  2. À primeira vista, não se nota grande movimento no número 7 da Rue de Grenelle – o endereço é chique, os moradores são gente rica e tradicional. Para ingressar no prédio e poder conhecer seus personagens, com suas manias e segredos, será preciso infiltrar um agente ou uma agente ou por que não duas agentes?

  3. Fernanda Jimenez, acabei de lê-lo e já fiz um RESUMO dessa bela história. Fiquei fascinada! O livro: “O Tempo entre Costuras” é uma história que te envolve do início ao fim.
    Tem um trecho do livro que gostei muito:
    “A normalidade não estava nos dias que ficaram para trás: encontrava-se apenas naquilo que a sorte punha a nossa frente a cada manhã. […] no lugar para onde eu quisesse me dirigir ou cravar os pilares da minha vida, lá estaria ela, minha normalidade. […] A normalidade não era nada além do que minha vontade, meu compromisso e minha palavra aceitassem que era, e, por isso, sempre estaria comigo. Buscá-la em outro lugar ou querer recuperá-la do ontem não tinha o menor sentido (DUEÑAS, p. 374).”

  4. A TV Brasil está passando a minissérie baseada no livro. Estou gostando muito! A atriz que faz a Sira se chama Adriana Ugarte e é lindíssima, parece a Keira Knightley.

  5. O tempo entre costuras e muito bem produzido e a protagonista nos tira o fôlego pela beleza natural e pela força do realismo impregnado. A atriz é grandiosa e merecedora de todos os prêmios. A direção segura e atenta aos detalhes imprime uma coerência primorosa e envolve o publico com facilidade. Parabéns a todo o elenco e a produção! Agora e ler o livro e deleitar-se ainda mais com a história de Sira.

  6. Diferentemente do que afirma sua resenha, a primeira parte do livro se passa antes do Franquismo, durante a República (governo eleito, pela primeira x uma frente de esquerda vence as eleições e representa os trabalhistas). O pai de Sira queixa-se justamente que os trabalhadores estão mto exigentes e teme ser assassinado. Ainda em 1936, Franco volta da guerra da África, dá um golpe eninicia a guerra civil espanhola.

  7. Hoje terminei de ver, na NETFLIX, O último dos 17 capítulos da série “O tempo entre costuras ”
    Tudo perfeito!!!! Da beleza e do desempenho da atriz Adriana ugarte ao enredo da história. As cidades naquela época, as roupas… enfim, nota mil!!!! Tudo espetacular!!!!!
    Escreva mais histórias desse nível, estamos precisando!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.