“A estátua e a pedra”, o novo livro de José Saramago

      A Fundação Saramago (leia- se Pilar del Rio, a viúva) lançou no último mês de abril na Feira do Livro de Bogotá essa nova obra póstuma “A estátua e a pedra”. A edição é bilingue espanhol/ português. O prólogo da editora: Um texto em que, de forma clara e fluida, José Saramago traça um percurso simples, sem artifícios e bem-humorado, pelos seus diferentes livros para acabar concluindo que até a “O Evangelho Segundo Jesus Cristo” havia estado descrevendo a estátua e que a partir desse livro, que é fronteira, a sua tentativa foi a de descrever a … Continuar lendo “A estátua e a pedra”, o novo livro de José Saramago

A flor e a náusea

O Brasil imerso numa revolução social. A gota d’água foi a subida do preço do transporte público em São Paulo, mas isso foi só o pretexto. Há muito tempo o brasileiro está cansado de pagar tantos impostos e não ter nada em troca. Nada de Segurança, nada de Saúde, nada de Educação. São Paulo sempre foi uma capital revolucionária, sempre serviu como exemplo ao resto do país de como se deve lutar quando o governo nega os direitos básicos. A maré humana saiu às ruas para exigir mudanças sociais e políticas básicas para toda sociedade democrática e próspera. É o … Continuar lendo A flor e a náusea

Fernando Pessoa: 125 anos do seu nascimento

Hoje completa 125 anos do nascimento do gênio português Fernando Pessoa. Ele que também era António (Fernando António Nogueira Pessoa) nasceu em Lisboa no dia de Santo Antônio, 13 de junho. Se você é um jovem leitor, coloque como prioridade os livros de Fernando Pessoa, conheça a obra de um dos maiores escritores da língua portuguesa. Os poemas são maravilhosos (ele assinava com heterônimos, como se criasse personagens para suas histórias em versos), também era filósofo. Suas reflexões filosóficas, confissões, visões de mundo, pequenas crônicas, onde podemos saber um pouco mais do mundo interior do escritor (isto é, se não … Continuar lendo Fernando Pessoa: 125 anos do seu nascimento

Cinco anos do Falando em Literatura

O “Falando em Literatura” começou como auxiliar para os meus alunos de língua portuguesa na Espanha. Todos tinham acesso ao blog e faziam postagens livres sempre escritas em português. O blog chamava “A última flor do Lácio”, fazendo referência ao verso do poema “Língua Portuguesa”, de Olavo Bilac:      Última flor do Lácio, inculta e bela, És, a um tempo, esplendor e sepultura; Ouro nativo, que na ganga impura A bruta mina entre os cascalhos vela…   Amo-te assim, desconhecida e obscura, Tuba de alto clangor, lira singela, Que tens o trom e o silvo da procela E o … Continuar lendo Cinco anos do Falando em Literatura