Virgínia Woolf também não gostou de “Ulisses”, de James Joyce


Eu fico extremamente irritada quando algum intelectual (ou pseudo- intelectual) insinua que não sou uma boa leitora porque não gosto de Ulisses. Eu respeito que eles gostem do livro, mas eles  não aceitam uma opinião contrária, um ponto- de- vista diferente, porque já têm uma visão tendenciosa e “maria-vai-com-as-outras”. A onda de que “Ulisses é genial” está arraigada e nenhuma opinião contrária é válida, é considerada inferior. Mas muitos desses defensores ferozes, devem ter lido muita crítica mastigada para emitir suas opiniões 100% inconsistentes. Até agora nenhum desses pseudos conseguiu emitir uma crítica válida sobre a obra. Corto um dedo quando algum falar algo diferente do que não está nas mil e uma resenhas e críticas espalhadas na internet (díficil falar de algo que não entenderam ou que nem leram). Afinal, quem diz que Ulisses é genial, tem que dizer o porquê dessa genialidade toda…e não dizem! Por que inovou a linguagem? Nem toda inovação é boa, a de Joyce é totalmente dispensável, não precisava existir. Por que fez uma adaptação da “Odisséia” de Homero? Quem inventou essa falácia devia estar drogado, de Homero o livro não tem nada! Eu acho que a Irlanda precisava de um grande ídolo literário no século XX e escolheram essa obra e esse escritor, e todo mundo ( “toda unanimidade é burra”) foi na onda ou têm mau gosto mesmo. O livro é cansativo, com trilhões de referências, a história de um dia na vida de um homem contada de uma forma esquizofrênica, doentia. Tentativas de humor sem- graça. Mas gosto é gosto, não?

tumblr_m8qyttjeQK1qhqff4o1_1280

Virgínia Wollf que era muito inteligente e uma grande escritora, também não gostou de ler “Ulisses”. Leia. Nossa, Virgínia e eu, que “bichos” estranhos! Temos opinião própria.