Há 51 anos, falecia o pintor Cândido Portinari


Cândido Portinari (Brodowski, São Paulo, 29/12/1903 – Rio de Janeiro, 06/02/1962) foi o artista plástico brasileiro mais internacional que existiu no Brasil, seu acervo consta de quase cinco mil obras. “O lavrador de café” (1939), uma das suas obras mais conhecidas, foi roubada do Museu de Arte de São Paulo em 2007, mas foi recuperada 19 dias depois, estava na cidade de Ferraz de Vasconcelos e foi devolvida ao museu.

la

Obras- de- arte são poesias visuais carregadas de significados e que podem ser interpretadas de várias maneiras; poesia também é imagem. Os versos podem nos transportar às imagens e paisagens; portanto, poesia é imagem e imagem é poesia. Literatura e as Artes Plásticas andam de mãos- dadas. Veja essa magnífica obra que foi encomendada à Portinari pelo governo brasileiro para presentear a ONU (Organização das Nações Unidas). Os dois painéis que medem 14 metros de altura por 10 metros de largura e pesam mais de 1 tonelada, ficaram expostos na ONU durante 54 anos e depois voltaram ao Brasil para serem restaurados, graças ao filho de Portinari, João. As imagens, de um lado a guerra triste, desesperada e do outro uma cena de paz, festa, alegria, em ambas há gritos, mãos levantadas, movimento, as cores e os corpos expressando pena ou glória:

2012_07_20_22_21_430

Cândido_Portinari,_Antônio_Bento,_Mário_de_Andrade_e_Rodrigo_Melo_Franco_1936

Essa foto é bárbara, realmente literatura e arte andam lado a lado. Da esquerda para a direita: Cândido Portinari, Antônio Bento, Mário de Andrade e Rodrigo Melo Franco. Rio de Janeiro, 1936.

Anúncios