Gente linda é gente que lê

Quando andamos pela rua e vemos gente compenetrada com suas leituras, não dá vontade de ler também? “Ahhh…por que não trouxe meu livro!” Gente linda, é gente que lê no ônibus, no metrô, no banco da praça, no avião, embaixo de uma árvore, na sala de espera do médico, na cafeteria…gente que não pode andar sem um livro, gente que inspira! (Todas as fotos são minhas, cópias com créditos, ok?) O leitor e a bicicleta, Parque del Retiro, Madri Lendo em dupla, Parque del Retiro, Madri Leitor solitário, Mosteiro dos Jerónimos, Lisboa Leitura e descanso, jardim do Museu do Prado, … Continuar lendo Gente linda é gente que lê

Dois anos da morte de Moacyr Scliar

Reinventar-se: eis aí um bom lema para o ano que se aproxima. Reinventar-se como profissional, como cônjuge, como pai ou mãe ou filho ou filha, reinventar-se como amigo, reinventar-se como cidadão ou cidadã, reinventar-se como pessoa. Num mundo em que a invenção é um acontecimento contínuo, em que as mudanças se sucedem de maneira vertiginosa, mexer um pouco com nós mesmos pode ser algo muito bom, um grande começo de ano, um grande recomeço de vida. (Zero Hora (RS), 26/12/2010) Dia de lembrar o grande escritor gaúcho, membro da Academia Brasileira de Letras, Moacyr Scliar, falecido há 2 anos, aos … Continuar lendo Dois anos da morte de Moacyr Scliar

Sorteio de livro!

O livro a ser sorteado é um que a nossa parceira, a editora Planeta da Espanha, nos enviou: La más bella historia de amor de Paula Cortázar, de Antonio Gómez Rufo. O livro está escrito em espanhol. Sinopse (da Editora Planeta e minha livre tradução) Daniel, um soldado espanhol, regressa ferido do Afeganistão. Uma bomba deixou o seu rosto desfigurado, mas uma cirurgia estética o converte num homem de uma beleza perfeita, abrindo portas para viver uma vida diferente. Com o que ele não conta, nem Paula, sua namorada, é com a sucessão de surpresas e acontecimentos que uma sociedade … Continuar lendo Sorteio de livro!

Dia de São Valentim, “Vamos discutir a relação?”

Hoje, Dia dos Namorados na maioria dos países ocidentais, o texto: “Amor, vamos discutir a nossa relação?” (Mário Prata) DISCUTIR: defender ou impugnar (assunto controvertido); questionar. RELAÇÃO: comparação entre duas quantidades mensuráveis. (Aurélio) Há alguns anos, eu e minha mulher (hoje ex-) fomos convidados pelo cantor e compositor João Bosco para assistirmos ao show dele no Teatro Municipal de Santo André. Como não sabíamos o caminho, João Bosco, que ia com a Kombi da gravadora, ofereceu-se para uma carona. Pegamos ainda o genial jornalista policial Otávio Ribeiro (Pena Branca) e sua noiva no Hotel Cineasta no centro de São Paulo … Continuar lendo Dia de São Valentim, “Vamos discutir a relação?”

Feira Medieval na Espanha

Como morreu quem nunca amar se fez pela coisa que mais amou, e quanto dela receou sofreu, morrendo de pesar, ai, minha senhora, assim morro eu. (Cantiga de amor, de Paio Soares de Taveiroos, trovador galego da primeira metade do século XII ) A pequena cidade de Chinchón, que data do ano de 1086, fica à 44 km da cidade de Madri, na Espanha. O governo local promove todos os anos uma feira medieval, que reproduz usos e costumes da Idade Média. Veja: Continuar lendo Feira Medieval na Espanha

Pablo Neruda será exumado depois de 40 anos da sua morte

O corpo do poeta Chileno Pablo Neruda será exumado após 40 anos da sua morte. Neruda era comunista e faleceu 12 dias depois do golpe de Estado de Augusto Pinochet. Existe uma desconfiança de que o poeta possa ter sido assassinado e que não tenha morrido de câncer de próstata como se pensava. O juíz Mario Carroza tomou essa decisão, confirmada na página da Fundação Pablo Neruda, depois que o motorista e guarda- costas de Pablo Neruda, Manuel Araya, que o acompanhou na sua tentativa de fuga de Santiago ao México, afirmara que o poeta recebeu uma injeção letal no … Continuar lendo Pablo Neruda será exumado depois de 40 anos da sua morte

Leitura de mãe para filha

Trago comigo uma imagem de infância: a minha mãe, dona Ana, sentada no sofá da sala com um livro aberto. Nada de televisão ligada, rádio, só o silêncio, ela e o livro. Essa cena me provocava paz e segurança. As tardes eram calmas, eu sentava junto da minha mãe, também com um livro, era nosso momento de evasão. Acho que eu lia coisas que não eram pra minha idade, eu pegava os livros dela, lembro de três títulos: “Eram os deuses astronautas?”, do suiço Erich von Däniken, publicado em 1968. A edição era exatamente essa, não lembro se li, mas esse livro … Continuar lendo Leitura de mãe para filha

Um presentão: “Um táxi para Viena d’ Áustria”, de Antônio Torres

Eu tenho um pensamento fixo na memória, que sempre retorna e é reforçado durante os anos: “a literatura salva!”. Literatura pra mim é parte da minha vida, é ela que me salva da solidão, da ignorância, é a literatura que me faz renascer quando abro um livro e me permite viver outras histórias. A literatura já me deu trabalho, me deu a oportunidade de conhecer escritores e escritoras incríveis, muitas alegrias, como essa de hoje via Correios Petrópolis- Madri: Antônio Torres não é um escritor qualquer, ele é um dos grandes escritores do Brasil. Muito orgulho de ter na minha … Continuar lendo Um presentão: “Um táxi para Viena d’ Áustria”, de Antônio Torres

Há 51 anos, falecia o pintor Cândido Portinari

Cândido Portinari (Brodowski, São Paulo, 29/12/1903 – Rio de Janeiro, 06/02/1962) foi o artista plástico brasileiro mais internacional que existiu no Brasil, seu acervo consta de quase cinco mil obras. “O lavrador de café” (1939), uma das suas obras mais conhecidas, foi roubada do Museu de Arte de São Paulo em 2007, mas foi recuperada 19 dias depois, estava na cidade de Ferraz de Vasconcelos e foi devolvida ao museu. Obras- de- arte são poesias visuais carregadas de significados e que podem ser interpretadas de várias maneiras; poesia também é imagem. Os versos podem nos transportar às imagens e paisagens; portanto, poesia é imagem e … Continuar lendo Há 51 anos, falecia o pintor Cândido Portinari

A Minha Biblioteca Ampliada

Minhas últimas aquisições literárias: Dostoievski e Guy de Maupassant em edições em espanhol, livros comprados na Casa del Libro (Madri): “La mansa” de Fiódor M. Dostoievski ( “krotkaya”, título original em russo), nas traduções em português ficou como “Uma criatura gentil”, “Uma criatura dócil” ou “A dócil”, é um relato de literatura fantástica. Veja edição da Cosac Naif, na Livraria Saraiva: Esta obra é uma pequena obra-prima. O pêndulo da narrativa opera segundo a lógica das transações de uma caixa de penhores: na primeira parte, a heroína se entrega, penhora sua pureza e um ícone da Virgem. Na segunda, resgata … Continuar lendo A Minha Biblioteca Ampliada

Resenha: Meu querido canibal/ Mi querido caníbal, de Antônio Torres

Bons livros são sempre excelentes companhias. Antônio Torres (Sátiro Dias, 13 de setembro de 1940) nos apresenta, com muita erudição, “Meu querido canibal” (na Espanha: “Mi querido canibal”), conhecimentos profundos sobre o Brasil em fase de colonização. Um livro perfeito … Continuar lendo Resenha: Meu querido canibal/ Mi querido caníbal, de Antônio Torres

Há 216 anos, falecia Mary Shelley, autora de “Frankenstein”

Há 216 anos, falecia Mary Shelley (Londres, 30/08/1797 – Londres, 1/02/1851) escritora britânica, filha do filósofo William Godwin e da pedagoga e escritora Mary Wollstonecraft. Casou- se em 1816 com o poeta Percy Bysshe Shelley. Autora da novela gótica Frankenstein: ou O Moderno Prometeu (1818), sua obra mais popular, foi escrita quando Mary tinha apenas 19 anos. Mary Shelley Frankenstein é um personagem que já habita no imaginário coletivo, no medo das crianças, ele é uma figura horripilante, um monstro criado por um “cientista maluco”, Victor Frankenstein, um jovem estudante de ciências, que descobre o segredo de gerar vida através da … Continuar lendo Há 216 anos, falecia Mary Shelley, autora de “Frankenstein”