Cheiro de Amor e Almir Serra no Brazilian Day Madrid

O Brazilian Day aconteceu ontem (25 de setembro) no Parque de Aluche,  um bairro periférico de Madri. Pastéis fritos na hora, coxinhas, esfihas, cocadas e outras guloseimas típicas brasileiras, além do Guaraná Antarctica. Música brasileira, com exceção da péssima banda espanhola de rap, “La Excepción”, que ficou fora de lugar, já que era um festival de música brasileira. Acho que foi a forma que usaram para agradar também aos espanhóis. O problema é que a banda trouxe um tipo de público desagradável para a festa familiar que estava acontecendo: a aura de maconha ficou insuportável e tivemos que mudar de … Continuar lendo Cheiro de Amor e Almir Serra no Brazilian Day Madrid

Cheiro de Amor no Brazilian Day em Madri

Amanhã, domingo (25), acontecerá uma festa principalmente para os residentes brasileiros em Madrid, o Brazilian Day, no Parque de Aluche. A atração principal é a banda baiana “Cheiro de Amor”. A festa começa às 15:00 e vai até 00:30, além de música brasileira, também haverá comidas típicas. A entrada é grátis, mas quem quiser ficar na área vip, terá que pagar de 120 a 150 euros. Continuar lendo Cheiro de Amor no Brazilian Day em Madri

Vinho com poesia

 “Os vinhos são como os homens: com o tempo, os maus azedam e os bons apuram.” Cícero Eu sou praticamente leiga em vinhos, sou do tipo que compra pelo rótulo, pela garrafa (os vinhos que têm o fundo côncavo são os melhores, vinhos com denominação de origem certificada, fora os selos que garantem a qualidade), pelo teor alcóolico (procuro sempre os mais baixos) e também pelo nome. E comprando pelo nome, comecei a observar que existem rótulos com títulos bem interessantes, inclusive com poemas: Os vinhos Albariños são da Galícia, e os galegos, além do espanhol, falam também o galego- … Continuar lendo Vinho com poesia

Claraboia, José Saramago

“Claraboia” (palavra que perdeu o acento depois da reforma ortográfica) é o segundo romance de José Saramago, escrito há 40 anos, assinado por um pseudônimo e que nenhuma editora quis publicar. A  Editorial Caminho lançou o romance agora, eis a sinopse escrita pela editora: A ação do romance localiza-se em Lisboa em meados do século XX. Num prédio existente numa zona popular não identificada de Lisboa vivem seis famílias: um sapateiro com a respetiva mulher e um caixeiro-viajante casado com uma galega e o respetivo filho – nos dois apartamentos do rés do chão; um empregado da tipografia de um … Continuar lendo Claraboia, José Saramago

“Trabalhos forçados”, Daria Galateria

Vários escritores consagrados não conseguiram sobreviver só de literatura e tiveram que fazer outros trabalhos, “Trabalhos forçados”, de Daria Galateria (Roma, 1950), reuniu num livro os ofícios que tiveram vários deles: Jack London: caçava baleias Boris Vian: trompetista Collete: vendedora de bijouterias e antirrugas Charles Bukowski: carteiro Dashiell Hammett: detetive particular Veja o vídeo: Esses não estão no livro: José Saramago foi metalúrgico, auxiliar administrativo e corretor de seguros antes de ganhar o Prêmio Nobel de Literatura. E Paulo Coelho foi ator, jornalista e compositor das músicas de Raul Seixas antes de ser o escritor brasileiro mais conhecido no mundo atualmente. Continuar lendo “Trabalhos forçados”, Daria Galateria

Magnólia, Marcia Tiburi

“Literatura fragmentada” ou “Manual de frases de efeito” poderia ser o título do livro da filósofa, artista plástica e professora Marcia Tiburi (Vacaria, 6 de abril de 1970). Você pode começar do meio, do final, pode começar por qualquer parte do livro que não faz diferença, são frases soltas, desconexas e sem sentido global. O romance não- romance parece uma tentativa de imitação de Clarice Lispector, que poderia entrar na categoria de romance psicológico- se fosse um romance em primeiro lugar. Em “A paixão segundo G.H.” de Clarice existe uma barata, no de Marcia, um besouro. Cada início de capítulo, ela coloca … Continuar lendo Magnólia, Marcia Tiburi

A Universidade de Alcalá de Henares, Espanha

No último fim de semana fiz uma imersão cultural em Alcalá de Henares- a segunda cidade que me sinto melhor na Europa (a primeira é Paris). A história da Universidad de Alcalá de Henares é muito interessante, é a 4ª mais antiga da Europa, suas atividades começaram em 1239, mas o grau superior só foi implantado em 1499 por um padre franciscano chamado Cisneros, um grande defensor da cultura e da arte. Graças a esse padre a universidade foi conservada e manteve as suas atividades, pois o mandatário político da época queria vender o edifício, recortar a fachada em pedaços … Continuar lendo A Universidade de Alcalá de Henares, Espanha