A minha biblioteca, com carinho


Na minha biblioteca só entra quem for escolhido a dedo. Primeiro, o tato e o contato visual: o título, o tipo de papel e capa, a fotografia e a biografia do autor; depois, o índice e o sumário. Por último, o questionamento: ” Que esse livro pode me trazer de bom?”. Se a resposta não for convincente, provavelmente ele acabará voltando para a prateleira da livraria.

Na minha biblioteca entram também seres místicos, estranhos, que habitam em meio às letras, voam, têm alma e som:

Na minha biblioteca também moram os Sonhos, três pedidos à lâmpada maravilhosa e…voilà!

Essa é a minha 3ª biblioteca pessoal (por mudanças internacionais tive que me desfazer, com muita dor, dos meus livros). A atual consta de 639 volumes, com uma pequena coleção de livros autografados como o último de Lêdo Ivo, e dos espanhóis Alberto Vázquez- Figueroa, Julia Navarro, Àngeles Caso e do norueguês Joisten Gaarder. Modesta, mas muito rica.

Eu sequestro personagens e trago um pouco deles comigo. Impossível sair imune de cada leitura. O livro e você, uma ponte (pro que você quiser). Cada um preenche a sua biblioteca (e a sua vida) como quiser: com histórias de amor, romances, aventuras, suspenses, terror, erotismo, auto- ajuda, mas sempre há espaço para a infância, a melancolia, as saudades, o sobrenatural e a poesia. Fica tudo aí guardado, é só abrir as portas.

E você? Como preenche a sua biblioteca (e a sua vida)?


Anúncios