Todos pela Educação (mesmo!)


“Todos pela Educação” é um órgão do Brasil de iniciativa privada, que tem como objetivo contribuir para que crianças e jovens tenham garantida uma Educação Básica de qualidade.

O Congresso Nacional aprovou o Plano Nacional de Educação para o decênio de 2011- 2020:

Art. 1º Fica aprovado o Plano Nacional de Educação para o decênio 2011-2020 (PNE – 2011/2020) constante do Anexo desta Lei, com vistas ao cumprimento do disposto no art. 214 da Constituição.

Art. 2º São diretrizes do PNE – 2011/2020:

I – erradicação do analfabetismo;

II – universalização do atendimento escolar;

III – superação das desigualdades educacionais;

IV – melhoria da qualidade do ensino;

V – formação para o trabalho;

VI – promoção da sustentabilidade sócio-ambiental;

VII – promoção humanística, científica e tecnológica do País;

VIII – estabelecimento de meta de aplicação de recursos públicos em educação como proporção do produto interno bruto;

IX – valorização dos profissionais da educação; e

X – difusão dos princípios da equidade, do respeito à diversidade e a gestão democrática da educação.

A nova presidenta do Brasil, Dilma Roussef, prometeu no seu discurso de posse que vai aumentar o investimento para a área de Educação de 5,1% para 7,0% do PIB (produto interno bruto) e que quer devolver o poder aos professores, que eles devem ter autonomia nas suas salas de aula.

Tanto a iniciativa privada quanto a pública têm boas intenções, mas só isso não basta. É necessário remunerar melhor os professores, para que não precisem fazer jornada tripla buscando um mínimo de conforto e dignidade para as suas vidas; é preciso equipar as escolas, principalmente as do interior do Brasil, que não têm material básico de trabalho e nem estrutura física. Primeiro há que dignificar professor e escola, porque a aprendizagem é consequência dessas duas coisas básicas. O tempo das escolas de pau-a- pique e crianças sentadas com caderno no colo tem que acabar no Brasil, definitivamente.

É necessário encarar a Educação como uma coisa verdadeiramente séria e fundamental na sociedade. Professores qualificados e não os intrusos oportunistas, que levam a Educação como “bico” para ganhar alguns trocados enquanto não aparece nada “melhor”. É necessário colocar a Educação nas mãos de gente licenciada, preparada e qualificada para o exercício da profissão. As licenciaturas têm que ser atrantes, profissões de futuro, “glamourosas”, boas opções a seguir: financeiras e pessoais.

Vamos cobrar!

Anúncios