O brasileiro Eduardo Saverin, co- fundador de Facebook


Depois do filme “A rede social”, muita gente pôde conhecer a história de uma das redes sociais mais populares do mundo, o Facebook, que foi criado no campus da Universidade de  Harvard, nos Estados Unidos. A ideia surgiu de um grupo de estudantes que contrataram Mark Zuckerberg para desenvolver o projeto de uma rede social que seria composta pelos amigos da universidade. Ele acabou aperfeiçoando, ampliando para outros campus e roubando a ideia para si. Deixou os colegas na mão e juntou- se com o brasileiro (isso não é citado no filme) Eduardo Saverin, seu amigo pessoal e estudante da Harvard, que financiou o Facebook a princípio, ajudou a programá- lo e também foi em busca de patrocinadores, cuidava da parte financeiro- administrativa. Zuckerberg acabou conhecendo numa festa o criador do finado Napster, Sean Parker (ele se apresenta no Facebook como “fundador- presidente”) com má fama por ser farrista, consumidor de drogas e pouco confiável,  acabou convencendo Zuckerberg  a excluir Saverin do projeto. Assim o fez: Saverin foi enganado, assinou uns papéis e acabou ficando com uma porcentagem mínima do Facebook.

Primeiro, Zuckerberg enganou os estudantes que tiveram a ideia da rede social,  depois enganou o seu amigo e colega de trabalho Eduardo Saverin, que ganhou na Justiça o direito de ter o seu nome reconhecido como fundador do Facebook.  O adjetivo correto para Zuckerberg é: traidor.

Anúncios