Grupo de música celta: Luar na Lubre


“Luar na lubre” é um grupo musical da Galícia (Espanha, onde fala- se galego- português) que toca um estilo raro, antigo, culto e belo, a música celta. A voz é de Sara Louraço Vidal, mas nesse vídeo canta Rosa Cedrón, sua predecessora. “Chove en Santiago”:

Os celtas viveram na Galícia, em outras províncias da Espanha e chegaram até Coimbra em Portugal no ano VI a. C.

Mais música celta: Carlos Nuñez, Milladoiro e a francesa Gwendal.

“Luar na lubre” foi- me apresentada por Alessandra Mattos que é Flickrer, ilustradora, designer e apaixonada pela banda:

Veja o trabalho dela aqui.

Update: O Fraguella deixou nos comentários uma lista de cantores e bandas de música celta galega: Fía na Roca, Fuxan os ventos, Mercedes Peón, Pancho Alvarez, Aquenlla, Os Cempés, Doa, Rodrigo Romaní, Berrogüetto, Sondeseu.

Ele também fez uma correção (obrigada!) em relação à banda Gwendal, que eu atribui nacionalidade galega, mas é francesa.

Anúncios

Identidade Perdida


“Identidade Perdida” é um curta- metragem escrito por André Parish Bamberg e o protagonista é Kadu Veiga (Carlos Eduardo Veiga Araújo), veja sinopse:

“A questão da perda de documentos é encarada como um dos grandes entraves junto aos órgãos públicos responsáveis pelo setor: aumenta as demandas de trabalho, provoca a superlotação nos estabelecimentos competentes, além de causar sérios transtornos de ordem legal, a exemplo dos crimes de falsidade ideológica, estelionato e clonagem. Partindo desta abordagem, o filme conta a história de Paulo Soares, um cidadão brasileiro de aproximadamente 30 anos, que resolve renovar sua carteira de identidade. Ao se deparar com o caos burocrático e o congestionamento das enormes filas, nosso protagonista presencia um indivíduo que acabara de tirar a identidade retornar ao balcão de senhas para solicitar uma nova via, afirmando que havia perdido a anterior, minutos após deixar o local. O descuido do homem revolta Paulo que o acusa de ser um dos grandes responsáveis pelo atraso de todo o processo. Transtornado, o protagonista inicia um discurso inflamado ali mesmo, no balcão de senhas, tendo como público os integrantes da fila em que se encontra. Mas, o que Paulo não sabia, era que, ao sair daquele órgão com sua nova identidade, a vida iria lhe pregar uma peça.” (filmabrasil.com)

O roteiro está participando de um concurso e você pode votar aqui: “Identidade perdida”

Veja o trailler, é muito interessante:

Novo livro do Saramago: “Caim”


Sinceramente, cheguei a pensar que “A viagem do elefante” seria o último livro do escritor português, mas ainda bem que nao e vai ser lançado no próximo mês de outubro “Caim”, um livro contra Deus e as escrituras: Veja o vídeo oficial da apresentaçao da obra:

E nesse outro ele  fala do novo livro:

Saramago escreveu um post de despedida no seu Blog “O caderno de Saramago”:

Diz o refrão que não há bem que sempre dure nem mal que ature, o que vem assentar como uma luva no trabalho de escrita que acaba aqui e em quem o fez. Algo de bom se encontrará neste textos, e por eles, sem vaidade, me felicito, algo de mal terei feito noutros e por esse defeito me desculpo, mas só por não tê-los feito melhor, que diferentes, com perdão, não poderiam eles ser. Às despedidas sempre conveio que fossem breves. Não é isto uma ária de ópera para lhe meter agora um interminável adio, adio. Adeus, portanto. Até outro dia? Sinceramente, não creio. Comecei outro livro e quero dedicar-lhe todo o meu tempo. Já se verá porquê, se tudo correr bem. Entretanto, terão aí o “Caim”.

P. S – Pensando melhor, não há que ser tão radical. Se alguma vez sentir necessidade de comentar ou opinar sobre algo, virei bater à porta do Caderno, que é o lugar onde mais a gosto poderei expressar-me.

Fica a dúvida se a despedida é do blog ou do mundo literário. Mas ele deixa claro que nada é definitivo também.

Ps: Obrigada Darlan, pela informaçao. 🙂