Tão pós- moderno!


O site Literatura em foco postou um poema de Lauro Drummond, “Pós- modernidade”:

Sinto:
O coração a acelerar,
A mão a esfriar
A fronte a transpirar
água atlântica
que
molha
inutilmente
meus
negros
cabelos
— Ora! Estás apaixonado, doce mancebo?
Não! Tenho síndrome do pânico!

Não encontrei informação acerca do autor. Não sei se tem parentesco com Drummond de Andrade.

Anúncios